Cultura, Destaque, Póvoa de Varzim

Luísa Costa Gomes vence Prémio Literário Casino da Póvoa

Afastar-se, de Luísa Costa Gomes (Leya/ D. Quixote) é a obra vencedora do Prémio Literário Casino da Póvoa 2020, no valor de 20 mil euros.

O Júri, constituído por Ana Pereirinha, Carlos Quiroga, Carlos Vaz Marques, Isabel Lucas e Isabel Pires de Lima, sublinharam “a coerência na diversidade deste livro de contos, género em que a autora se tem destacado ao longo de 40 anos de vida literária, bem como a constante procura da forma adequada que Luísa Costa Gomes persegue em cada conto”.

“Fui coleccionando ao longo de mais de cinco anos contos que de uma maneira ou de outra metem água”, frisou a autora lisboeta nascida em 1954, “Será esta colecção, talvez, em arco abrangente, uma reconciliação pela água: um livro termal, se quiserdes. Em muitos destes contos se reivindica o primado da experiência vivida, seja ela de jibóias!, na elaboração formal que lhe faz a vénia. Na vida da água que nos faz sonhar (só de olhar) reconhecemos a nossa própria sobrevida. Mas o lapidar é o lapidar e o que se escreve na água…”.

Luísa Costa Gomes licenciou-se em Filosofia, foi professora do Ensino Secundário e dirigiu a FICÇÕES (revista de contos). É autora de romances, contos, crónicas e peças de teatro. O seu primeiro romance, O Pequeno Mundo, ganhou o Prémio D. Diniz da Casa de Mateus e Olhos Verdes, o Prémio Máxima de Literatura. A obra Contos Outra Vez ganhou o Grande Prémio de Conto da Associação Portuguesa de Escritores. Publicou ainda, na Dom Quixote, os livros infantis A Galinha Que Cantava Ópera (2005), com ilustrações de Pierre Pratt, e Trava-Línguas (2006), com ilustrações de Jorge Nesbitt, A Pirata (2006), romance sobre a aventurosa vida da pirata Mary Read, e o livro Setembro e Outros Contos (2007). O seu romance Ilusão (ou o que quiserem) (2009) recebeu, em 2010, o Prémio Literário Fernando Namora/Estoril Sol e o Prémio de Ficção do PEN Clube, ex-aequo com Dulce Maria Cardoso. Com a obra Cláudio e Constantino (2014), venceu o Grande Prémio de Literatura dst e com Florinhas de Soror Nada, a Vida de Uma Não-Santa (2018), o Prémio de Novela e Romance Urbano Tavares Rodrigues.
Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.