Ovar, Saúde, Sociedade

Melhores acessibilidades no Hospital de Ovar

O Hospital Dr. Francisco Zagalo – Ovar (HFZ-Ovar) acaba de concluir um conjunto de melhorias ao nível das acessibilidades, cuja natureza da intervenção consiste na eliminação de barreiras arquitetónica, perspetivando a criação de espaços com condições de acesso para todos.

“Esta operação era necessária para o eficiente fluxo diário de utilizadores do hospital, uma vez que a promoção da acessibilidade constitui um fator essencial na qualidade de vida das pessoas, de forma a garantir, sobretudo, o pleno exercício dos direitos fundamentais das pessoas com deficiência e com mobilidade condicionada, contribuindo para o reforço da sua inclusão”, afirma o presidente do Conselho Diretivo do HFZ-Ovar, Luís Miguel Ferreira, sublinhando que a unidade hospitalar “tem, inclusive, nos seus quadros de pessoal uma assistente técnica com mobilidade reduzida, dependente de cadeira de rodas e que beneficia, consequentemente, desta intervenção”.

O melhoramento – um investimento na ordem dos 75 mil euros – resulta de uma candidatura apresentada ao Programa de Acessibilidades aos Serviços Públicos e na Via Pública (PASPVP), operacionalizado pela Estrutura de Missão para a Promoção das Acessibilidades, candidatura essa que mereceu aprovação.

No âmbito deste programa, foi realizado o diagnóstico das condições de acessibilidade da instituição, definidas as prioridades e elaborado um plano de intervenção concreto.

“Além da eliminação das barreiras arquitetónicas existentes nesta unidade hospitalar – com a adaptação de passeios exteriores e requalificação e implementação de novas rampas -, tornava-se prioritária a colocação de portas automáticas, balcões de atendimento adequados e vãos de acesso às diferentes instalações, tendo em vista a melhoria da acessibilidade das pessoas com mobilidade condicionada”, explica Luís Miguel Ferreira, salientando ainda “o enorme ganho na segurança nesta fase pandémica na colocação deste tipo de portas que evitam o toque”.

Refira-se que o Programa de Estabilização Económica e Social, aprovado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 41/2020, de 6 de junho, veio estabelecer as medidas adequadas para o período temporal subsequente ao estado de emergência e à situação de calamidade, designadamente, a aprovação do PASPVP, com o qual se pretende a operacionalização dos programas de acessibilidades aos edifícios públicos e na via pública, no sentido de garantir o acesso e o atendimento a todas as pessoas com deficiência.

Se precisa de empresas de web design pode consultar a Livetech

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *