Destaque, Montijo, Sociedade, Turismo

Festa de N.ª Sra da Atalaia no Montijo candidata às 7 Maravilhas da Cultura Popular

A candidatura da Festa Grande – Festa de N.ª Sra da Atalaia às 7 Maravilhas da Cultura Popular passou a primeira fase de seleção deste concurso nacional que pretende evidenciar a vivência e reconhecimento do património cultural material e imaterial, elegendo o que de melhor Portugal tem, enfatizando as tradições associadas as várias regiões do país.

O Conselho Científico das 7 Maravilhas aprovou, assim, a candidatura apresentada, na categoria Procissões e Romarias, pelo Município do Montijo que procura dar mais visibilidade a uma manifestação cultural que é das mais antigas do país e uma referência única na região.

A candidatura passa, agora, à segunda fase de votação, em que o Painel de Especialistas irá reduzir para sete os candidatos por região/distrito, que depois vão concorrer à fase final de votação do público português.

A Festa de N.ª Sra da Atalaia decorre no último fim de semana de gosto, na Atalaia, concelho do Montijo. Embora existam referências a esta Ermida e peregrinação já no séc. XIII, desconhece-se a data da primeira romaria pelo que a romaria dos Oficiais da Alfândega, em 1507 (motivada pela peste que grassou por Lisboa), é tida como o grande momento expansionista do Santuário de Nossa Senhora da Atalaia.

Esta romaria chegou a contar com trinta círios, que por motivos vários (as invasões francesas, restrições de saúde pública, etc.) foram-se extinguindo. Atualmente são cinco: da Quinta do Anjo, da Carregueira, dos Olhos d’Água (concelho de Palmela), de Azóia (Sesimbra) e o Círio Novo da Jardia (Montijo).

Inicialmente, os romeiros transportavam e colocavam junto ao altar do Santuário uma vela grossa, um círio, de onde resultou o nome dado às romarias organizadas. Hoje, transportam as bandeiras que identificam a sua proveniência e promessa por determinada povoação, localidade ou comunidade.

Se precisa de uma Empresa de Marketing Digital pode ver a Livetech

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *