Celorico de Basto, Sociedade

Dia Internacional das Pessoas com Deficiência lembrado em Celorico de Basto

O dia 03 de dezembro é o dia Internacional das Pessoas com Deficiência e a Associação de Solidariedade Social de Basto com o apoio do Município de Celorico de Basto, algumas escolas e IPSS´S uniram-se, na praça Albino Alves Pereira, para celebrar a data, uma efeméride que procura lembrar “os que são diferentes numa sociedade em que ninguém é igual”.

Aula de Zumba e árvore de Natal da amizade marcaram as celebrações deste dia.

“Hoje é um dia muito especial, um dia em que lembramos e sensibilizamos para a inclusão. Incluir será sempre a palavra de ordem até que já não seja necessário fazer-lhe referência” disse Joaquim Mota e Silva, Presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto e da Associação de Solidariedade Social de Basto. O autarca marcou presença na iniciativa promovida no âmbito das celebrações do dia 3 de Dezembro e salientou que “estas iniciativas só são possíveis quando trabalhamos de mãos dadas, todos por um mesmo objetivo, apoiar, incluir, ajudar. Quando damos as mãos e desenvolvemos projetos para o bem comum, quando despertamos consciências, quando consciencializamos para a igualdade na diferença, todos e todas somos humanos, todos e todas merecemos uma oportunidade para construirmos a nossa história o nosso caminho”. Joaquim Mota e Silva agradeceu a presença de todos e o empenho na elaboração da árvore de Natal ou árvore da Amizade, “uma árvore feita graças ao empenho das várias entidades, uma árvore que irá crescer, que nos anos futuros terá a dimensão que desejamos, a dimensão dos nossos sonhos, dos nossos projetos, da amizade que nos une”.

Este dia foi instituído pelas nações unidas em 1992 e procura promover uma maior compreensão para assuntos direcionados para a deficiência, como a acessibilidade, a mobilidade, a inclusão, numa busca ativa pela defesa da dignidade, do direito e do bem-estar das pessoas.

Fernando Peixoto, Provedor Intermunicipal do Tâmega e Sousa não pode deixar de referir que a inclusão tem que ser da responsabilidade de todos, “é uma questão de civismo, de humanidade, de direitos humanos. É dever de todos contribuir para que cada um se sinta pertença a uma mesma sociedade de forma digna e para isso é preciso uma maior consciência para os obstáculos que as pessoas com deficiência se debatem diariamente. Ainda existe um longo caminho pela frente na mitigação dos obstáculos, na criação de infraestruturas inclusivas, na descriminação laboral, social e cultural, o trabalho de consciencialização é fundamental”.

Nesta ação de sensibilização os utentes o CAO – Centro de Atividades Ocupacionais foram os protagonistas. “O meu sonho é ser professora de Zumba, mas também vou tirar o curso de cozinha, adoro fazer bolos e rissóis e tenho a certeza que vou concretizar os meus sonhos”, disse-nos Diana, de 19 anos, com trissomia 21.

Para sensibilizar ainda mais para a temática foi desenvolvido um vídeo com os utentes do CAO a desempenhar diferentes profissões, em diferentes espaços do concelho. O mesmo será divulgado nas diferentes plataformas digitais ao longo do dia.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *