Grândola, Sociedade

Simpósio de Escultura em Pedra de Grândola promove arte pública

Na sequência da organização, em Maio de 2018, de uma Exposição Coletiva de Escultura na Praça da República, a Câmara Municipal de Grândola decidiu realizar um Simpósio de Escultura em Pedra, que decorreu entre os dias 16 e 30 de Setembro, com a participação de três reconhecidos escultores portugueses – Jorge Pé-Curto, Paulo Neves e Vitor Ribeiro – os quais, em espaço aberto ao público, no exterior do Complexo Desportivo Municipal José Afonso, criaram três esculturas a instalar em Grândola, no Carvalhal e em Melides que irão valorizar os espaços públicos do ponto de vista artístico, identitário e patrimonial.

No decurso do simpósio o público teve oportunidade de acompanhar o processo de criação das esculturas e os escultores promoveram ações de informação e sensibilização sobre escultura dirigidas aos alunos dos estabelecimentos de ensino, na linha dos objetivos do Plano Nacional das Artes (PNA 2019-2024) de apoiar práticas artísticas a desenvolver com as escolas, de motivar os mais jovens para a criatividade artística e de aproximar a arte e o património aos cidadãos.

O SIMPÓSIO DE ESCULTURA EM PEDRA, tal como o Projeto Participativo de Arte Pública UM MONUMENTO PARA O LOUSAL, promovido no âmbito de uma parceria entre o Município de Grândola e a Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, visam investir na valorização da identidade do território através da arte pública. Nestes contextos, a arte pública – como forma de diálogo com o território e a memória coletiva das populações e como elemento de valorização do seu património material e imaterial – constitui um projeto inédito na política cultural do Município de Grândola, demonstrativo da importância do investimento na cultura e nas artes como fator de desenvolvimento com impacto social, cultural e patrimonial.

No âmbito do simpósio Jorge Pé-Curto realizou uma obra em homenagem a Fernando Pessoa e aos seus heterónimos, que será colocada num local nobre da vila de Grândola. Paulo Neves teve como referência a maior extensão de linha de praias do país, com condições ambientais e paisagísticas de elevado interesse, concebendo uma peça sobre o mar e o sol a ser colocada na 1ª rotunda à entrada do Carvalhal, de acesso à localidade e à Alameda das Praias. Finalmente, Vitor Ribeiro entendeu prestar um tributo à tradição oleira de Melides, produzindo uma obra que irá ser colocada no espaço requalificado do núcleo museológico da Olaria de Melides.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *