Desporto, Melgaço

Nacionais de Ciclismo de Estrada disputados em Melgaço

Melgaço recebe, de 28 a 30 de junho, os Campeonatos Nacionais de Ciclismo de Estrada (Elites, Sub 23 e Femininas), competição organizada pela Associação de Ciclismo do Minho, Federação Portuguesa de Ciclismo e Município de Melgaço.

O Secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, presidiu à cerimónia de apresentação dos Campeonatos que vão reunir cerca de duas centenas de atletas.

Durante três dias, Melgaço acolhe os cerca de 200 participantes esperados, as respetivas equipas técnicas e os amantes da modalidade, numa iniciativa que vai dinamizar a economia local e proporcionar um espetáculo de elevada qualidade, oferecido pelos melhores ciclistas portugueses.

O Secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, presidiu à cerimónia de apresentação dos Campeonatos que contou também com a presença de Manoel Batista (Presidente da Câmara Municipal de Melgaço), Delmino Pereira (Presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo), José Luís Ribeiro (Presidente da Associação de Ciclismo do Minho), José Adriano Lima (Presidente da Melsport), Inácio Ribeiro (Presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal), Vítor Dias (Delegado do IPDJ), dos ex-ciclistas Cândido Barbosa e Sérgio Sousa e de, entre outros, autarcas e representantes da Escola Superior de Desporto e Lazer Instituto Politécnico de Viana do Castelo).

O programa arranca com a disputa dos títulos nacionais de contrarrelógio, ao início da tarde de sexta-feira, dia 28. Ao meio-dia inicia-se o contrarrelógio de elite feminina, seguindo-se a prova individual de sub-23 masculinos. As duas corridas serão feitas num traçado de 24,6 quilómetros. Pouco depois das 13h30 sai para a estrada o primeiro corredor masculino de elite. A prova desta categoria terá 32,3 quilómetros. Todos os contrarrelógios vão ligar o Centro de Estágios de Melgaço à Câmara Municipal.

Sábado, 29 de junho, é o dia escolhido para as primeiras provas de fundo. Às 10h00 será dado o tiro de partida para a corrida feminina. As corredoras de elite irão percorrer 88,6 quilómetros, terminando à quarta passagem pela meta, mais uma volta do que as juniores que vão pedalar durante 66,1 quilómetros e mais duas do que as cadetes e as masters que terão de enfrentar 43,6 mil metros. Os sub-23 masculinos também lutam pelo título de fundo no sábado, a partir das 14h30. O percurso dos jovens corredores terá um total de 144,4 quilómetros. Estas duas provas começam e terminam na Câmara Municipal de Melgaço.

A corrida mais esperada é a prova de fundo para elite, marcada para as 11h00 de domingo, 30 de junho. A partida será em Castro Laboreiro e a chegada na Câmara de Melgaço, à oitava passagem pela meta, depois de percorridos 181 quilómetros.

As provas de fundo vão desenrolar-se num circuito exigente, rompe-pernas, com pouco terreno verdadeiramente plano. A meta está instalada no topo de uma rampa de um quilómetro com inclinação média de 8,5 por cento, destacando-se os 500 metros finais, em empedrado, e com uma pendente de 11 por cento.

A prova de elite e a de sub-23 guardam um ingrediente especial. Uma subida de 3 quilómetros com inclinação média de 4 por cento, que será apenas transposta na última volta, apimentando ainda mais a discussão pelas camisolas de campeão nacional.

João Paulo Rebelo (Secretário de Estado da Juventude e Desporto)

Na cerimónia e apresentação dos Campeonatos Nacionais, o Secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, salientou o “espírito descentralizador” dos eventos da Federação Portuguesa de Ciclismo que este ano completa 120 anos de existência.

“Descentralizar também faz parte das preocupações do Governo. Daí o nosso apoio ao ciclismo, porque é uma modalidade que vai encontro das pessoas, basta saírem de casa e têm uma envolvência extraordinária com o Desporto”, disse João Paulo Rebelo.

João Paulo Rebelo destacou ainda que “Melgaço é um município amigo do desporto em geral e do ciclismo, sabendo aproveitar todos os ingredientes que envolvem o concelho e está presente na organização destes eventos. De resto, descentralizar também faz parte das preocupações do Governo. Daí o nosso apoio ao ciclismo e a estes Campeonatos Nacionais”.

Delmino Pereira (Presidente da FPC)

Delmino Pereira, Presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, começou por referir que “os Campeonatos Nacionais de Ciclismo de Estrada são dos pontos altos do calendário velocipédico nacional. É das provas que se realiza há mais anos e dos títulos mais cobiçados pelos ciclistas. É também a única prova que recebe todos os ciclistas portugueses, mesmo aqueles que correm no estrangeiro e que vêm cá nesta altura para participar nos Campeonatos Nacionais”.

“Temos esta preocupação de organizar os campeonatos em várias regiões, onde há uma grande identificação com a marca do ciclismo, que gosta de percorrer os territórios. A aposta em Melgaço é uma decisão feliz, porque se trata de uma vila amiga da modalidade”, disse o dirigente.

Manoel Batista (Presidente da Câmara Municipal de Melgaço)

Manoel Batista, presidente da Câmara Municipal de Melgaço, considerou ser um “privilégio” receber eventos desta dimensão: “Temos um orgulho enorme em receber os Campeonatos Nacionais de Ciclismo e estar ligados há vários anos à modalidade, quer através das provas de estrada como de BTT. É verdade que temos uma boa qualidade de terreno, mas também temos gente que sabe organizar e aqui fica o mérito para a Melsport”.

O autarca abordou ainda a parceria com a Associação de Ciclismo do Minho afirmando que “esta ligação tem sido felicíssima e é para manter por muitos anos”, salientando que a ACM “tem sido um parceiro exemplar para a Câmara e para a Melsport e isto permitiu-nos colocar o Município na senda do ciclismo”.

José Luís Ribeiro (Presidente da ACM)

José Luís Ribeiro, presidente da Associação de Ciclismo do Minho, mostrou-se orgulhoso pelo fato dos Campeonatos Nacionais de Ciclismo de Estrada se realizarem em Melgaço e salientou o êxito da parceria com a autarquia do Alto Minho.

“Estamos convictos que os Nacionais serão um momento marcante na história dos 120 anos da Federação Portuguesa de Ciclismo. A competição a realizar-se aqui é, não só, o reconhecimento do trabalho que tem sido feito pela Câmara Municipal de Melgaço e pela Melsport mas, também, motivo de grande satisfação para a Associação de Ciclismo do Minho, estando a ACM grata pela confiança que a autarquia e a FPC depositaram em nós para a realização destes campeonatos”.

José Luís Ribeiro mostrou-se confiante nuns Campeonatos Nacionais “memoráveis e pautados, por parte dos atletas, pela observância pelos princípios da ética, espírito e da verdade desportiva”.

O dirigente minhoto classificou a parceria com a autarquia de Melgaço como “um exemplo para o País porque existe uma cooperação absolutamente invejável, muito positiva e onde sobressai o mérito do trabalho e a forma sustentada e criteriosa como são promovidas as iniciativas”. “O protocolo entre Melgaço e a ACM, na nossa opinião, é, não apenas, benéfico para a promoção da prática desportiva, mas também constitui um contributo para o desenvolvimento da economia local”, afirmou José Luís Ribeiro.

José Adriano Lima (Presidente do Conselho de Administração da Melsport)

José Adriano Lima, presidente do Conselho de Administração da Melsport, considerou a realização dos Campeonatos Nacionais em Melgaço “o momento alto duma relação de cooperação que temos com a ACM e com a FPC” que já “permitiu a Melgaço acolher muitos e grandes eventos desportivos”.

O autarca deixou ainda um desafio aos atletas e às equipas: “venham ao nosso território, tragam energia e vontade de nos proporcionem um grande espetáculo desportivo, que nós, aqui em Melgaço, vamos preparar o resto, ou seja, vamos criar todas as condições para que o evento seja um êxito”.

Cândido Barbosa (ex-ciclista)

Cândido Barbosa, ex-ciclista (Campeão Nacional de Estrada e Contrarrelógio e Campeão Europeu de Esperanças), também esteve presente na apresentação dos Campeonatos Nacionais de Ciclismo de Estrada. O ex-ciclista começou por referir que no seu vasto palmarés “não conto com vitórias em Melgaço e porquê? Porque o ciclismo não passava por cá. Por isso, os meus parabéns por abraçarem o projeto com a Associação de Ciclismo do Minho e da FPC para que estas novas gerações possam conhecer esta parte do nosso País, que tem excelentes condições”.

De resto, “tenho a certeza que estes campeonatos vão ser bem disputados porque o terreno por si irá fazer alguma seleção. Estes campeonatos vão ser disputados ao mais alto nível e quem os vencer terá todo o mérito de andar com a camisola durante o ano”, concluiu.

Daniela Reis (Campeã Nacional de Fundo e Contrarrelógio)

Daniela Reis, Campeã Nacional de fundo e de contrarrelógio de elite em 2018 considerou que “os Campeonatos Nacionais são o objetivo de qualquer atleta. Poder vestir a bandeira portuguesa ao peito durante toda uma época é um orgulho enorme. No meu caso, a correr no estrangeiro, as equipas dão imenso valor a um campeão nacional e acaba por dar também mais alguma visibilidade ao ciclismo feminino português. A corrida de fundo antevê-se realmente dura, pelo percurso e pelo calor que costuma estar nesta altura do ano. O contrarrelógio parece me mais acessível do que no ano passado, mas não deixa de ser bastante duro para o que o pelotão feminino está habituado”.

João Almeida (Vice-Campeão de Fundo e Contrarrelógio)

João Almeida, Vice-Campeão nacional de fundo e de contrarrelógio de sub-23 em 2018, considerou que os Campeonatos Nacionais em Melgaço vão ser duros:  “Acredito que será uma corrida dura e bem disputada. O nível no Nacional é sempre muito alto. A corrida é sempre muito aberta e o fator sorte/oportunidade é muito importante. Estar no sítio certo a hora certa é meio caminho andado para a vitória. Lutar pela vitória é algo muito importante para mim, uma vez que significa representar o nosso país e a nossa bandeira lá fora, dando visibilidade às cores nacionais”.

Artigo Anterior

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *