Destaque, Leiria, Sociedade

Pinhal de Leiria recebe 113 mil árvores do Movimento Terra de Esperança

O movimento Terra de Esperança (TEM) mobilizou mais de 500 voluntários para uma ação de reflorestação de 10 hectares do Pinhal de Leiria, devastado em 80% da sua área pelos incêndios do ano passado. Até ao final do dia, este terreno contará com 13 mil pinheiros.

O movimento Terra de Esperança (TEM) mobilizou mais de 500 voluntários para uma ação de reflorestação de 10 hectares do Pinhal de Leiria, devastado em 80% da sua área pelos incêndios do ano passado. Até ao final do dia, este terreno contará com 13 mil pinheiros.

Além da iniciativa de hoje, que encerra a época de reflorestação, a Fundação Galp e a Associação Nacional das Empresas da Floresta e Ambiente (ANEFA) doaram 100 mil árvores adicionais ao Pinhal de Leiria para plantação posterior.

Os 10 hectares hoje reflorestados pertencem a um talhão de 35 hectares cuja recuperação foi assumida pela Galp.

Esta ação de voluntariado, assegurada por colaboradores da Galp, familiares, amigos e parceiros, decorre junto à Aldeia de Pilado (Marinha Grande) e à semelhança das ações anteriores, privilegia as espécies arbóreas autóctones, neste caso os pinheiros bravos e mansos.

“A dimensão da tragédia do ano passado convocou-nos para um compromisso mais estruturante na reabilitação das terras, mas sobretudo da esperança de quem as habita,” afirma Joana Garoupa, diretora de Marketing e Comunicação da Galp. “A mobilização de tão grande número de voluntários mostra que podem contar connosco.”

Desde o seu início, em novembro, e após a ação de hoje, o MTE já reflorestou 65 hectares nos concelhos de Arganil, Mangualde, Vila Nova da Barquinha, Pedrogão Grande, Arganil e Torres Vedras. O número total de árvores plantadas já ultrapassa as 53 mil. As espécies abrangidas incluíram carvalhos, castanheiros, pinheiro bravo, pinheiro manso, sobreiros, freixos, amieiros, plátanos, azevinhos, medronheiros, e bétulas.

O Movimento Terra de Esperança une a Galp e a ANEFA na plantação de 500 mil árvores numa área equivalente a 600 campos de futebol e a gestão das áreas reflorestadas de forma sustentável. É um projeto de fôlego que dá continuidade ao apoio que a Galp tem prestado no combate aos incêndios, através de doações à Autoridade Nacional de Proteção Civil, Liga dos Bombeiros Portugueses, Serviços Regionais de Proteção Civil da Região Autónoma da Madeira e mais de 50 corporações de bombeiros.

3.100 voluntários registados

No total, o movimento conta com mais de 3.100 voluntários registados e a associação de figuras públicas como João Manzarra, Ana Garcia Martins (do blogue A Pipoca Mais Doce), Jorge Corrula, ou Isabel Silva.

A Galp é uma empresa de energia de base portuguesa, de capital aberto com presença internacional. As nossas atividades abrangem todas as fases da cadeia de valor do setor energético, da prospeção e extração de petróleo e gás natural, a partir de reservatórios situados quilómetros abaixo da superfície marítima, até ao desenvolvimento de soluções energéticas eficientes e ambientalmente sustentáveis para os nossos clientes – sejam grandes indústrias que procuram aumentar a sua competitividade, ou consumidores individuais que buscam as soluções mais flexíveis para as suas casas e necessidades de mobilidade. Contribuímos ainda para o desenvolvimento económico dos 11 países em que operamos e para o progresso social das comunidades que nos acolhem. A Galp emprega 6.750 pessoas.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *