Cultura, Estarreja

Eco Parque Empresarial de Estarreja surpreendeu brasileiros

“O mundo é um mercado”, diz Fernando Ferro, CEO da empresa Fernando Ferro & Irmão, S.A., a propósito da visita a Estarreja da comitiva brasileira do estado do Ceará, na última quarta-feira, que abre novas perspetivas de negócio às empresas locais. O Eco Parque Empresarial de Estarreja, gerido pela Câmara Municipal, surpreendeu o grupo da missão empresarial Brasil – Portugal promovida pela AIDA – Associação Industrial do Distrito de Aveiro.

 

“Um parque de nova geração muito bem dimensionado”, com um ecossistema propício ao desenvolvimento empresarial, destacando-se fortes vantagens competitivas, como a localização central, acessibilidades e infraestruturas, e com perspetivas de expansão. O Presidente da Câmara Municipal de Estarreja, Diamantino Sabina, deu a conhecer o espaço onde estão neste momento localizadas 27 empresas, que empregam cerca de mil trabalhadores. “Temos tido muito sucesso nestes últimos anos, conseguimos fixar várias novas empresas”, explicou na sessão de receção à delegação do Brasil, que decorreu no Centro de Negócios do Eco Parque.

Qualidade das condições criadas em Estarreja

Foi essa “visão da criação de uma ambiência de negócio favorável para que as empresas se instalem” que deixou André Montenegro “muito bem impressionado”. O Presidente do Sindicato das Empresas de Construção Civil sublinhou “o nível e a qualidade das empresas” de Estarreja, bem como “a qualidade da ambiência que a prefeitura local criou para que essas empresas se instalassem aqui”. E considera que ficam abertas as portas para “negócios futuros”.

“Estamos aqui para, de volta ao Brasil, dizer que Portugal não existe somente de Lisboa para o sul, mas existe também acima de Lisboa e de Coimbra”, acrescentou Eduardo Bezerra, Assessor para Assuntos Internacionais da Presidência da Federação das Indústrias do Ceará, e que foi o primeiro presidente da Câmara de Comércio de Brasil – Portugal neste estado. Estarreja revelou-se uma “surpresa e está a dar um exemplo de como se pode promover o desenvolvimento mantendo ao mesmo tempo uma atitude ambiental correta. Um exemplo não só para Portugal, mas para o Brasil inteiro”, afirmou.

Empresas inovadoras são casos de sucesso

Este espaço empresarial de excelência acolhe um conjunto de empresas que se destacam ao nível da inovação e capacidade exportadora. É o caso da Tensai Indústria SA, um dos principais fabricantes de frio horizontal da Europa. Com uma capacidade instalada para 800.000 unidades por ano, exporta 90% do que produz estando presente em mais de 70 países da Europa, África, Médio Oriente e América Latina. Na perspetiva de João Martins, diretor da fábrica de Estarreja, a visita dos brasileiros trará benefícios a longo prazo, “não só ao Município como os empresários aqui localizados. É do maior interesse cruzarmos empresários de outras geografias, conhecerem o que fazemos aqui, conhecerem o parque e as empresas”.

Fortes probabilidades de negócio

Também para a recente Kinya Solutions, que faz dois anos em maio, esta aproximação tem um forte significado nesta sua fase de vida. “É uma mais valia porque de outra forma, teríamos que nos deslocar à procura dessa oportunidade. Assim trouxe à nossa casa estes contactos”, disse Eugénia Paiva, diretora industrial. “O foco inicial foi incidir no mercado nacional e neste momento o nosso grande objetivo é alcançar novos mercados”. Os contactos estabelecidos abriram “essa forte probabilidade de virmos a estreitar essa relação e a vender o nosso painel para o Brasil”. Esta foi a primeira fábrica de painéis de isolamento em policarbonato a estabelecer-se em Portugal, tendo escolhido Estarreja pela sua localização privilegiada.

Em Estarreja, os brasileiros descobriram ainda a Fernando Ferro & Irmão, S.A. que opera na área da metalomecânica, na Maquinação de Precisão de Peças e Componentes em Ligas Metálicas, Compósitos e Plásticos de Engenharia. “Há aqui algum interesse da parte de quem nos visitou e da nossa parte é óbvio que estamos abertos a poder colaborar e diversificar ainda mais a área de negócio. O mundo é um mercado e temos que estar em todo o lado. Estamos na Ásia, estamos na Europa, podemos estar na América também porque é um continente com muito potencial e é claramente um objetivo”, disse Fernando Ferro no final da visita.

O grupo está a viver um momento crucial de crescimento. “Graças ao facto de termos vindo para Estarreja há 5 anos, depois de nos termos instalado, temos crescido significativamente e vamos continuar a crescer, sempre atentos ao que o mercado tem para oferecer e sempre prontos para oferecer ao mercado”.

Fomentar a aproximação entre os dois países

Desenvolvida no âmbito do Projeto Internacionalizar em Português e integrada no Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (COMPETE2020), PORTUGAL2020, a missão empresarial Brasil – Portugal, promovida pela AIDA, tem como objetivo estratégico fomentar uma maior aproximação entre a procura e a oferta dos dois países, facilitando, reforçando e consolidando a entrada das empresas e dos produtos portugueses no mercado brasileiro e potenciando uma maior visibilidade, no Brasil, das capacidades do mercado português, enquanto potencial de investimento.

Se precisa de uma empresa de SEO para posicionar melhor o seu site? Contacte a Livetech

Artigo AnteriorPróximo Artigo

1 comentário

  1. Sem dúvida que as empresas criadas no ECO PARQUE em Estarreja são importantes para o Concelho… só é lamentável que muitas sejam sanguesugas e que os empregos criados sejam temporários… Enfim,para brasileiro ver…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *