Guimarães, Sociedade

Guimarães reforça compromisso com Pacto de Autarcas para clima e energia

A Câmara Municipal de Guimarães esteve representada no Parlamento Europeu, entre os dias 21 e 22 de fevereiro, mantendo o compromisso com o Pacto de Autarcas para o clima e energia. No momento em que o Pacto de Autarcas celebra dez anos e aproximam-se as metas estabelecidas para 2020, as principais cidades europeias comprometidas no combate às alterações climáticas e à redução de emissões de carbono estabeleceram o respetivo pré-acordo para os objetivos 2030.

A comitiva de Guimarães foi composta pela vice-presidente da Câmara Municipal, Adelina Paula Pinto, a Coordenadora Executiva da Estrutura de Missão da Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia, Isabel Loureiro e o Presidente do Laboratório da Paisagem, Jorge Cristino. No âmbito da Guimarães Mais Verde, materializada na sua candidatura a Capital Verde Europeia 2020, Guimarães participou nas conferências organizadas em Bruxelas, nomeadamente no Fórum para a Eficiência Energética e para Financiamentos, no qual se discutiram oportunidades para as adaptações às alterações climáticas e para a energia sustentável, com a apresentação de 25 boas práticas nas áreas dos transportes, edifícios e reabilitação urbana.

O Pacto de Autarcas é o maior movimento mundial de cidades para a ação climática e de energia local. Assim, celebrou o seu décimo aniversário no hemiciclo do Parlamento Europeu, com ambição de reunir os governos locais comprometidos voluntariamente em alcançar e exceder os objetivos da UE para o clima e energia. A iniciativa conta atualmente com mais de 7 000 municípios e regiões de 57 países.

O Município de Guimarães é um dos signatários desta iniciativa, desde novembro de 2013, com aprovação do Plano de Ação para a Energia Sustentável (PAES) desde 2014. Guimarães aderiu às novas metas do Pacto de Autarcas para 2030, desde 2016, submetendo o seu Plano de Ação para a Energia Sustentável e Clima, depois de ter ultrapassado as metas de emissões de carbono, reduzindo em cerca de 23% em 2017 face aos valores de referência de 2008. A acrescentar a estas metas, Guimarães tem já aprovado e em implementação a Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas (EMAAC) desde 2016, sendo membro fundador e Presidente do Conselho Geral da Rede de Municípios de Adaptação Local às Alterações Climáticas, nascendo na sequência do Projeto ClimAdapt.Local.

Exemplos práticos desta ação são os investimentos feitos para a eficiência energética nas escolas, bem como a Academia de Ginástica, edifício de referência perto de carbono zero. Em termos de adaptação, as Bacias de Retenção, que têm evitado as cheias na zona de couros continuam a ser uma referência como boa prática, bem como a requalificação de margens das linhas de água.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *