Cultura, Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Núcleo Museológico do Castelo de Lanhoso estabeleceu novo recorde de visitantes

Panoramica do Castelo de Lanhoso

Uma constante oferta cultural, melhorada e diversificada, e a estreita relação com os estabelecimentos de ensino, instituições e associações, fez com que o Núcleo Museológico do Castelo de Lanhoso, no ano de 2017, ficasse muito próximo dos 13 mil e 600 visitantes e estabelecesse um novo recorde, pois, desde que há registos, este número nunca foi alcançado.

“Estes números resultam da aposta na valorização e dinamização do Castelo de Lanhoso, que é o nosso ex libris e uma das razões pelas quais as pessoas visitam o nosso concelho. Por isso, este trabalho será para continuar e para reforçar em 2018”, salienta o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva.

Em termos comparativos, no ano de 2016, o Núcleo Museológico do Castelo de Lanhoso recebeu perto de 12 mil e 500 visitantes, que na altura também foi um número nunca antes registado.

Uma programação contínua de exposições, temáticas e generalistas, uma palestra sobre os caminhos de Santiago de Compostela, o concurso de fotografia, a caminhada com História, os Fãs do Vinil, o mercado medieval e as visitas guiadas, elementos associados à sua soberba localização geográfica, estimularam o interesse por este espaço museológico municipal, projetando, desta forma, a visibilidade patrimonial e turística deste ícone concelhio, que recebeu visitantes oriundos de 49 países, com maior relevância para Espanhóis, Franceses, Ingleses, Brasileiros, Russos, Alemães e Norte Americanos.

Os Serviços Educativos do Castelo de Lanhoso, cada vez mais procurados pelos estabelecimentos de ensino, estruturados e adaptados para os vários níveis de ensino, representam uma mais-valia para os docentes, pois encontram no Castelo de Lanhoso um excelente complemento ao ensino curricular.

As características históricas deste baluarte medieval e as condições do espaço envolvente também têm despertado o interesse da comunidade escutista para a realização das suas atividades de campo, como sejam acampamentos, peddy-papers, caminhadas, jogos tradicionais, de entre outras atividades específicas, tudo mediante marcação prévia.

De relembrar que Dona Teresa recebeu como dote de casamento com D. Henrique as terras do Condado Portucalense, pequeno território compreendido entre o Minho e o Tejo, que regeu com pulso de ferro o que era seu por direito, utilizando o Castelo de Lanhoso como um dos principais bastiões na consolidação e ampliação das linhas de fronteira do Condado Portucalense.

As pessoas interessadas em saber mais sobre a história deste espaço museológico municipal e em manter-se atualizadas podem seguir a página do Facebook do Castelo de Lanhoso.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *