Seia, Sociedade

Seia promove conferência sobre o uso e a conservação da floresta

O envolvimento da sociedade civil na conservação da floresta e a criação de valor económico são o mote para a conferência “Comunidades & Florestas Resilientes”, que acontece em Seia, nos dias 21 e 22 de outubro. O debate acontece no auditório do CISE – Centro de Interpretação da Serra da Estrela e contará com a presença da Secretária de Estado do Ordenamento e da Conservação da Natureza, Célia Ramos.

O tema não podia ser mais atual, numa altura em que o país recupera do flagelo dos incêndios, é imperativo repensar a Floresta e toda a sua fileira enquanto recurso de grande valor económico. Assim, integrada no CineEco – Festival Internacional de Cinema de Ambiente da Serra da Estrela, Seia convida a uma reflexão e debate sobre o uso e conservação da floresta. A antecipar o início dos trabalhos, o Município de Seia apresentará a Estratégia do Plano Diretor Municipal de Seia para o ordenamento do solo rural.

Luis Filipe Gomes Lopes, Professor e Diretor da Licenciatura em Engenharia Florestal da UTAD – Universidade de Trás os Montes e Alto Douro, tem as honras de abertura do painel da manhã, dedicado ao tema “Floresta – um bem comum”. Posteriormente, seguem-se apresentações de um conjunto de projetos que mobilizam a sociedade civil em prol de uma floresta mais sustentável.

Nomes como Marta Pinto, Coordenadora do Grupo de Estudos Ambientais da Universidade Católica Portuguesa – Porto, Pedro Sousa, Coordenador do Projeto Floresta Comum – da QUERCUS, Elizabete Marchante, investigadora do Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra e Invasoras.pt, Nelson Matos coordenador do Projeto Forest – in, são alguns dos oradores que vão inspirar a plateia, pela paixão e empenho com que abraçam estes projetos de grande envolvimento comunitário.

O período da tarde, já focado na criação de valor económico na Floresta, inicia-se com Henrique Pereira dos Santos, arquiteto paisagista e cronista, seguindo-se um conjunto de projetos empresariais que acrescentam valor económico à floresta.
Carlos Fonseca, Professor Associado na Universidade de Aveiro, estará nesta conferência na qualidade de empreendedor. João Nunes, Administrador e CEO da Associação BLC3 – Campus de Tecnologia e Inovação BLC3, dá a conhecer um dos mais recentes projetos em desenvolvimento na incubadora portuguesa de Oliveira do Hospital, o Centro Bio, que ganhou o prémio Regio Stars 2016.
Posteriormente, Miguel Ramos vai apresentar a MycoTrend, uma startup especializada no estabelecimento de plantações de cogumelos silvestres e na produção e venda de plantas micorrizadas para produção de cogumelos comestíveis. Um exemplo de projeto alinhado com a inovação mundial para o cultivo de cogumelos silvestres, quer pela tecnologia incorporada quer pelas espécies cultivadas.
O encerramento do painel cabe a Pedro Serra Ramos, Presidente da ANEFA – Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente, uma associação que representa um universo de micro, pequenas e médias empresas de serviços, com um volume de emprego correspondente a cerca de 9.000 postos de trabalho permanente e um volume de negócios anual superior a 500 milhões de euros.

A finalizar os trabalhos deste dia, Carlos Filipe Camelo, Presidente da Câmara Municipal de Seia, fará o encerramento da conferência.
O primeiro dia integra ainda um almoço de menu sustentável, no Parque Verde do CISE. O desafio é criar algo verdadeiramente criativo valorizando a produção local, os mercados de proximidade e os sabores de montanha. Um conceito que valoriza o slow food em aposição às dietas modernas de fast-food, com fortes pegadas de carbono e com grande influência no agravamento das alterações climáticas

No dia 22, domingo, está prevista uma saída de campo no Parque Natural da Serra da Estrela, que contempla a apresentação do projeto Life Relict- Preserving Continental Laurissilva Relics. Desenvolvido em parceria com a Universidade de Évora, os Municípios de Seia e Monchique, a ADRUSE – Associação de Desenvolvimento Rural da Serra da Estrela e o CITYTEX – Centro de Investigación Científicas y Tecnológicas de Extremadura, o projeto, em implementação no concelho de Seia, pretende recuperar as comunidades arborescentes de Laurus nobilis, na Rede Natura 2000. No caso de Seia, referem-se à recuperação do habitat de Azereiro na Cabeça e Casal do Rei.

A conferência é promovida pelo Município de Seia e a ADIRAM – Associação de Desenvolvimento Integrado da Rede de Aldeias de Montanha, e integra o conjunto de atividades e eventos que consubstanciam o Festival iNature, no qual se destaca o mais prestigiado Festival Internacional de Vídeo de Ambiente o CINE ECO, que decorre em Seia entre os dias 14 e 21 deste mês. Esta é uma ação do Plano de Animação para a áreas protegida da serra da Estrela enquadrada na EEC PROVERE iNature, cofinanciada pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do CENTRO 2020 – Programa Operacional Regional do Centro.

Se precisa de Empresa design gráfico pode ver a Livetech

Precisa de uma Prótese Dentária para os seus dentes? Consulta a Medway para saber o preço

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *