Cultura, Destaque, Torres Vedras

Festival Novas Invasões em Torres Vedras

Novas-Invasões_2017

O festival Novas Invasões, foi apresentado em conferência de Imprensa, terá a sua 2.ª edição na cidade de Torres Vedras de 31 de agosto a 3 de setembro, garantindo muita animação dirigida a toda a família. Tendo o Japão como “país invasor”, a Organização estima que o festival receba este ano cerca de 20 mil visitantes e se afirme como um espaço de partilha, participação e aproximação de culturas.

A conferência de imprensa de apresentação desta 2.ª edição do Festival Novas invasões realizou-se no recém-inaugurado Centro de Interpretação das Linhas de Torres Vedras, no Forte de São Vicente, e contou com as presenças da vereadora da Área da Cultura da Câmara Municipal de Torres Vedras, Ana Umbelino; do Chefe de Divisão da Cultura da Câmara Municipal, Rui Brás; do diretor artístico do festival, João Garcia Miguel; do presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Carlos Bernardes; e do Embaixador do Japão em Portugal, Hiroshi Azuma.

Com o objetivo de dinamizar a cidade e atrair os muitos turistas que no final do mês de agosto visitam a região, o festival Novas Invasões constitui-se como ponto simultâneo de confronto criativo e de afirmação de uma visão europeia, baseada na diversidade e necessidade de contacto entre as pessoas. Contacto ativo, colaborativo e expressivo. O Novas Invasões baseia-se na celebração do tempo, promovendo e privilegiando o encontro e a relação entre pessoas de diversas origens, comemorando:
– Um tempo histórico, que recria o tempo e o espírito que foi vivido durante as Guerras Peninsulares e a construção das Linhas de Torres vedras;
– E o tempo presente, combinando a pluralidade de ideias e visões do mundo.
Com a realização deste “evento em processo”, dado que se pretende que seja construído a partir do contributo de todos, a vereadora da Cultura referiu que é objetivo da Organização estimular a participação das associações, organizações culturais locais, atores e agentes económicos e da própria população, para que as artes e a cultura aproximem ainda mais os cidadãos, celebrem a interculturalidade e permitam vivificar os espaços públicos. Ana Umbelino salientou ainda que o festival possui um capital de desenvolvimento muito grande, mas conta já com uma significativa notoriedade.

Ao nível da programação, serão quatro dias preenchidos de atividades de natureza diversa, dirigidas a todas as faixas etárias, com os espetáculos a acontecer em 16 locais distintos da cidade. Saliente-se a este nível que o programa se espraia, este ano, pelo Forte de São Vicente, Parque do Choupal e outros locais que não estavam disponíveis para fruição aquando da realização 1.ª edição deste festival, em 2015. Atividades de serviço educativo para os mais novos, ciclo de cultura tradicional, cinema, dança, exposições, gastronomia, instalações, apresentação de livro, música, novo circo, performances e teatro são algumas das categorias de eventos que integram o programa do festival Novas Invasões 2017 e que apresentam o trabalho desenvolvido por artistas de Portugal, França, Reino Unido, Espanha e Japão.
Como referiu Rui Brás, chefe da Divisão da Cultura da Câmara Municipal de Torres Vedras, podemos dividir a programação do festival em três grandes áreas: recriações históricas, que dinamizarão o Forte de São Vicente; o Mercado Oitocentista que dinamizará a zona do centro histórico da cidade; e a arte contemporânea, com uma oferta diversificada que levará o público por outros “palcos” na cidade. No entanto, no epicentro do festival encontraremos o Mercado Oitocentista, com cerca de 46 entidades e 22 associações envolvidas e que funcionará como cenário e palco, estabelecendo a conexão entre os dois tempos: o passado e o presente. Enquanto recriação histórica pretende gerar uma atmosfera especial nas ruas do centro histórico de Torres Vedras, combinando o espírito festivo, a autenticidade e o simbolismo das Linhas de Torres. Este é um evento lúdico, voltado para a animação, diversão, para a partilha, mas é também uma recriação da vida rural do início do século XIX, com artesãos a trabalhar ao vivo, tabernas com comida e bebida, animação, arruadas, cortejos e a recriação de profissões e pormenores desse tempo.

Se na 1.ª edição, que decorreu em 2015, o “país invasor” foi o Chile, nesta edição deixemo-nos invadir pelo Japão. Esta invasão por um país convidado, ao contrário das invasões napoleónicas do século XIX, é positiva e constitui um momento de partilha, respeito e aprendizagem, onde se procura uma aproximação à cultura e aos costumes do convidado. Neste sentido, João Garcia Miguel, diretor artístico do festival, salientou que o objetivo é ligar o património material e imaterial do território Torriense, mas apresentar algo de novo e diferente e que, nesse âmbito, ter como país invasor o Japão constituiu um grande desafio, pois é uma cultura bastante diferente da nossa. Este convite surgiu da relação estreita que o concelho de Torres Vedras possui com o Japão, pela estada do escritor japonês Kazuo Dan na praia de Santa Cruz, entre 1971 e 1972. Uma relação que de destaca tanto na poesia do autor, como na relação de amizade que veio a estabelecer com os habitantes locais.
Desta “invasão cultural” que se pretende dar a conhecer neste festival, João Garcia Miguel, destacou o concerto “Eletrified Jet Shamisen Okita”; o espetáculo de dança “Locus Focus” de Min Tanaka; o Ciclo de Cinema Japan Foundation; o Ciclo de Cinema Japão; as exposições “Fâneur by Torres vedras – uma Leitura Oriental sobre o Território” e “Flâneur – New Urban Narratives”, com fotografia de Hajime Kimura e Sonia Hamza; e ainda um ciclo de Cultura Tradicional intitulado “O Japão e os Japoneses”. Todas estas atividades constituem manifestações desta cultura oriental que se pretende tornar mais próxima dos visitantes. Nas palavras de Hiroshi Azuma, embaixador do Japão em Portugal, o convite para este festival é uma “forma dos visitantes ficarem a conhecer melhor a cultura japonesa, através das suas diversas expressões artísticas e um contributo muito importante para o fortalecimento das relações entre Portugal e o Japão”.

A par de todos os espetáculos, o Festival Novas Invasões oferece ainda ao visitante um conjunto de experiências, organizadas e asseguradas por agentes turísticos que, desta forma, apresentam as suas ofertas na área e que merecem ser vividas. Renda-se às ceias oitocentistas no Castelo, aos passeios de burro e de carroça, aos passeios pela Rota das Linhas de Torres (passeio de Jipe UMM), aos passeios pedestres guiados ao centro histórico, às visitas aos fortes das Linhas de Torres ou à degustação da gastronomia oitocentista, uma “Invasão de Sabores” que permitirá ao visitante degustar menus oitocentistas num dos muitos restaurantes aderentes à iniciativa.

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Carlos Bernardes, estão assegurados todos os ingredientes para a realização de um grande evento em Torres Vedras. Além do convite deixado para que as pessoas visitem o nosso território, o edil deixou uma palavra de agradecimento a todas as associações, agentes culturais e económicos que trabalharam, desde o primeiro minuto, em colaboração com a Câmara Municipal, para fazer do Novas Invasões um festival participado e de referência.

O Festival Novas Invasões tem uma periodicidade bianual e contará, em cada edição, com um país “invasor” diferente. O conceito tem vindo a ser desenvolvido desde 2010, aquando das comemorações do Bicentenário das Linhas de Torres Vedras, uma estrutura defensiva constituída por 152 fortes e redutos que impediu as tropas francesas de Napoleão Bonaparte de invadir Lisboa em 1810. O Festival Novas Invasões 2017 é uma organização da Câmara Municipal de Torres Vedras; conta com o patrocínio da Glory e Vimeiro; com o apoio institucional da Japan Foundation e da Embaixada do Japão; e apoios Bang Venue, Barraqueiro Oeste, Extincêndios, Cooperativa de Comunicação e Cultura, Fábrica da Igreja Paroquial de S. Pedro e Santiago, Fórum das Associações Culturais de Torres Vedras e Oeste Portugal.

Para qualquer questão ligada à comunicação, contacte a Área de Comunicação da Câmara Municipal de Torres Vedras, pelo tlf.: 261 320 751, tlm.: 918 773 343 ou comunicar@cm-tvedras.pt.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *