Cultura, Seixal

SeixalJazz está de volta em outubro

image002 (1)

De 19 a 28 de outubro, no SeixalJazz 2017 cruzam-se músicos e projetos do melhor e mais promissor jazz nacional, europeu e norte-americano. Os bilhetes são colocados à venda em setembro. O quinteto de Wolfgang Muthspiel abre o festival no dia 19 de outubro. O guitarrista austríaco, a quem a revista The New Yorker apelidou de «a shining light» (uma luz brilhante) apresenta-se com uma formação de grandes nomes do jazz americano contemporâneo. A prestigiada Down Beat classificou o seu disco «Rising Grace» (2016) como uma «obra-prima» e atribui-lhe nota máxima.

Slow Is Possible é o projeto de seis jovens músicos portugueses que atuam no SeixalJazz no dia 20. São uma das mais recentes revelações do jazz português e tocam um jazz com evidentes influências eruditas, mas que também vai beber ao rock, pós-rock, blues, fado e improvisação livre. Editaram o primeiro álbum, «Slow Is Possible», para a JACC e vão editar o segundo pela Clean Feed. Vai chamar-se «Moonwatchers».

Michaël Attias é um dos músicos mais proeminentes da cena jazz nova-iorquina do século XXI. O quarteto que apresenta no SeixalJazz, a 21 de outubro, é um dos projetos mais criativos a surgir nos últimos tempos. «Nerve Dance», o seu último disco, recebeu a aprovação generalizada da crítica internacional.

Na segunda semana, o SeixalJazz abre espaço para o quinteto de João Barradas, um dos mais conceituados e reconhecidos acordeonistas europeus. Move-se entre a música clássica, o jazz e a música improvisada. Apresenta-se com uma formação de músicos excecionais do panorama nacional, no dia 26 de outubro. Gravou «Directions» para a editora nova-iorquina Inner Circle Music, disco que mereceu a classificação de 4,5 estrelas na Down Beat.

Dominique Pifarély combina a tradição clássica do violino com o swing da música contemporânea europeia, tendo contribuído para a modernização do violino no jazz com mestria na execução e uma forma criativa e imaginativa de compor. O seu quarteto sobe ao palco do Auditório Municipal no dia 27 de outubro.

O SeixalJazz 2017 encerra com um nome incontornável, Lee Konitz, um dos mais criativos e prolíficos intérpretes do jazz moderno. Na sua longa carreira atravessou todos os estilos do jazz e tocou com quase todos os grandes intérpretes: Dave Brubeck, Ornette Coleman, Charles Mingus ou Lennie Tristano. Apresenta-se com uma energia e capacidade de improvisação mais vivas do que nunca, no dia 28 de outubro.

Os concertos acontecem sempre às 22 horas, no Auditório Municipal do Fórum Cultural do Seixal. Os bilhetes estarão à venda no início de setembro.

Como habitualmente, o festival dedica um dia ao seu projeto pedagógico e os alunos e professores das escolas básicas do concelho do Seixal vão assistir a um concerto comentado pelo quinteto do trompetista Gonçalo Marques, na tarde do dia 25 de outubro.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *