Desporto, Seia

Seia promove percursos pedestres em agosto

caminhada_shutterstock_189678305-712x475

O Centro de Interpretação da Serra da Estrela – CISE volta a realizar, durante o mês de agosto, quatro percursos dirigidos a todos os amantes do pedestrianismo, utilizando os percursos pedestres da rede de Caminhos de Montanha das Aldeias de Montanha.

Os itinerários propostos são de pequena rota, realizam-se às quartas-feiras, às 09h, e procuram dar a conhecer a riqueza natural e cultural das Aldeias de Montanha e da serra da Estrela.

O primeiro percurso decorre no dia 2 de agosto, tem uma extensão de 4170 m e desenvolve-se na envolvente da aldeia de Sazes da Beira, com início e término no Santuário de Sta. Eufémia, em Sazes da Beira. A rota do Volfrâmio incide ao longo de uma encosta situada a montante da povoação e limitada a sul pela ribeira de Sazes, numa paisagem dominada por pinhais e campos agrícolas em socalcos.
No percurso encontram-se inúmeros vestígios de antigas minas de volfrâmio e estanho, exploradas sobretudo durante a II Guerra Mundial, em resultado da enorme procura daquele metal durante aquele período. Em Sazes da Beira merece referência, ainda, o santuário de Santa Eufémia e o núcleo antigo da aldeia de traça típica em xisto.

Para o dia 9 de agosto é proposto a rota da Garganta de Loriga, um itinerário entre o planalto superior da serra da Estrela e a vila de Loriga. O percurso tem uma extensão de 8770 m, está classificado com um grau de dificuldade elevado, e compreende uma paisagem marcada, em quase toda a sua extensão, por vestígios glaciários característicos do último período frio que se abateu sobre esta área.
No trajeto, que se inicia na área das Salgadeiras (EN 338 / Km 27) e termina no largo da Carreira de Loriga, salienta-se uma sucessão de quatro depressões designadas por covões Boieiro, do Meio, da Nave e da Areia, que albergam um conjunto de espécies de fauna e flora raras e exclusivas dos ambientes de montanha.

Na terceira quarta-feira do mês (16 de agosto) a sugestão recai sobre a vertente sul do maciço superior da serra da Estrela, num percurso com 7780 m, que estabelece a ligação entre a Torre, a uma altitude de 1993 m, e a aldeia de Alvoco da Serra.
De dificuldade elevado, a rota do Pastoreio compreende uma paisagem dominada por afloramentos rochosos, prados de montanha, matos de zimbro e piorno e, na envolvência de Alvoco da Serra, giestais e campos agrícolas dispostos em socalcos.
Nas cotas mais elevadas são notórios vestígios glaciários do último período frio, de que se salientam amplos afloramentos graníticos regularizados pela ação erosiva do gelo e o vale glaciário de Alvoco.

No dia 23 de agosto, o CISE dá a conhecer a rota da Caniça, um percurso ao longo do vale da ribeira da Caniça, na Lapa dos Dinheiros. A rota da Caniça tem cerca de 7km de extensão e regista uma paisagem montanhosa dominada por soutos, pinhais, lameiros, matos e afloramentos rochosos. Neste percurso merece especial destaque o souto da Lapa, um bosque de castanheiros centenários, que suporta uma elevada diversidade de espécies de fauna e de flora. Na ribeira e sua envolvente, justificam uma referência particular as quedas da Caniça, os Cornos do Diabo e o buraco do Sumo, setor onde o curso de água corre subterraneamente.

Os interessados em participar podem fazer a inscrição on-line (em www.cise.pt), ou contactando diretamente o CISE pelo telefone 238 320 300 ou através do correio eletrónico cise@cise.pt. A participação na atividade está limitada a 12 participantes, realizando-se com um mínimo de 6, e tem um custo associado de 10€ (inclui transporte e seguro).

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *