Cultura, Reguengos de Monsaraz

Fábia Rebordão vai cantar na Festa do Cante nas Terras do Grande Lago, em Monsaraz

Fábia Rebordão

A Festa do Cante nas Terras do Grande Lago vai decorrer nos dias 22, 28 e 29 de julho na vila medieval de Monsaraz. O Cante Alentejano, classificado Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO, será homenageado nos espetáculos O Cante e a Atualidade, Alentejo Coral Jovem e na Gala do Cante.

O programa da Festa do Cante nas Terras do Grande Lago inicia-se no dia 22 de julho, pelas 22h, na Casa do Cante, em Telheiro, com o Cante e a Atualidade. Neste espetáculo vão atuar o Grupo Coral da Casa do Povo de Reguengos de Monsaraz, o Rancho Coral e Etnográfico da Aldeia Nova de S. Bento, o Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz e o Grupo de Danças e Cantares de S. Pedro de Maceda.

A fadista Fábia Rebordão vai ser a madrinha do Alentejo Coral Jovem, que decorre no dia 28 de julho, às 22h, no Largo D. Nuno Álvares Pereira, em Monsaraz. Em palco vão estar o Grupo Coral Os Bel’Aurora de Campinho, Grupo Coral Os Amigos do Cante Alentejano de São Marcos do Campo-Os Falcões do Alentejo, Grupo Coral Bafos de Baco, de Cuba, Grupo Coral da Vidigueira, Tertúlia dos Amigos do Cante de Alcáçovas e Al-Canti.

Este encontro de grupos corais juvenis reflete as indicações da UNESCO quando distinguiu o Cante Alentejano como Património Imaterial da Humanidade, ao responsabilizar toda a comunidade para a sua preservação e salvaguarda. Nesta noite vão ouvir-se grupos de jovens que se dedicam ao Cante, demonstrando a importância que este património assume no seio das comunidades.

No dia 29 de julho, às 17h30, na Casa do Cante, vai realizar-se o lançamento do livro “Cantar no Alentejo – A Terra, o Passado e o Presente”, da Estremoz Editora. Esta publicação, coordenada por Maria do Rosário Pestana e Luísa Tiago de Oliveira, partiu duma conferência realizada no âmbito da Festa do Cante, e é composta na primeira parte por capítulos de estudiosos de várias áreas disciplinares (Antropologia, Etnomusicologia, História e Sociologia) e na segunda por uma mesa-redonda final, marcada pela espontaneidade e pela multiplicidade de perspetivas, com intervenções de cantadores, de decisores e de alguns especialistas. No seu conjunto, o livro permite uma abordagem nova acerca das questões da terra, da memória e do património que, hoje, se encontram numa encruzilhada, dando especial atenção ao Cante Alentejano enquanto Património Imaterial da Humanidade.

À noite, pelas 22h, no Largo D. Nuno Álvares Pereira, decorre a Gala do Cante, com a atuação da fadista Fábia Rebordão, Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz, Grupo Coral Ateneu Mourense, Grupo Coral os Camponeses de Pias e Grupo Coral Vozes do Campo Branco de Cascais. Neste espetáculo haverá também poemas de Manuel Sérgio que vai estar acompanhado à guitarra por José Farinha.

Fábia Rebordão vai apresentar na vila medieval o seu mais recente álbum, “Eu”, o segundo disco da fadista que em 2012 recebeu o Prémio Amália Revelação. Na Gala do Cante, a Junta de Freguesia de Monsaraz vai atribuir a Chave de Honra da vila a Luís Augusto Martins Pereira da Conceição Rocha e a José Gabriel Paixão Calixto, pelos seus contributos e “dedicação à causa pública na freguesia e no concelho, com resultados de decisivo benefício comunitário, que respeitam a importante história local e o legado deixado por gerações anteriores, servindo a atualidade com um impacto que beneficia também as gerações futuras”, pode ler-se na proposta aprovada por unanimidade pela assembleia de freguesia.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *