Cultura, Palmela

Festival Internacional de Gigantes em Palmela

unnamed (1)

Entre 7 e 9 de julho, a vila de Pinhal Novo acolhe o 9.º FIG – Festival Internacional de Gigantes. Serão três dias com muitos espetáculos e animação, num cruzamento entre a cultura festival tradicional de raiz ibérica e as expressões artísticas contemporâneas, marcadas pelas fascinantes máquinas e estruturas de grandes dimensões. Teatro de rua, marionetas, música do mundo, circo, danças, exposições, atividades dedicadas ao público infantil, arruadas, desfiles e a presença indispensável das figuras tradicionais – gigantones, cabeçudos, zés pereiras – acompanhadas pelas percussões, gaitas de foles e fogo, fazem o programa desta 9.ª edição do FIG, que reúne grupos e artistas de Portugal, Alemanha, Japão, Palestina e Espanha.

Com um orçamento superior a  50 mil euros e o apoio de diversas empresas, ao abrigo do Programa “Mecenas de Palmela”, esta iniciativa da Câmara Municipal de Palmela continua a apostar no incentivo à produção de artistas e grupos locais e conta com a presença incontornável dos parceiros de organização: Bardoada – O Grupo do Sarrafo, ATA (Acção Teatral Artimanha), Associação  Juvenil COI e PIA (Projectos de Intervenção Artística). A comunidade artística local integra a programação, com instalações e exposições presentes no recinto, espetáculos dos Pia, ATA, Teatro dos Barris, Teatro Sem Dono, Teatro da Vila, Bardoada, Balha ca Carroça, Leónia Oliveira e Carla Gomes, com destaque para o Grande Desfile de Gigantes e Formas Animadas, no domingo, dia 9, às 17h00, que contará com mais de 30 grupos e cerca de 700 desfilantes. Destaque, ainda, para o espetáculo de encerramento, “KAIROS” (reflexo do “momento certo”, “momento oportuno”), a primeira criação FIG, inspirada no universo de Gil Vicente, que aborda a sociedade atual, o uso do recurso Tempo e a inevitável Morte.

O já habitual Encontro sobre Cultural Popular integra, este ano, um novo recurso – a Maleta Pedagógica e Cadernos de Atividades da Gaita de Foles – que estará à disposição do Museu Municipal e da comunidade educativa do concelho, para divulgar e valorizar este instrumento musical e a sua importância na tradição musical portuguesa.

Os indispensáveis espaços de gastronomia, com os excelentes sabores regionais, completam três dias de celebração e convívio, num evento que se orgulha de ser  acessível e que ostenta o selo de qualidade EFFE 2017/2018, integrando a plataforma “Europe for Festivals, Festivals for Europe”, criada pela Associação de Festivais Europeus.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *