Castro Verde, Cultura

7º Encontro de Violas de Arame em Castro Verde

imgLoader (2)

Nos dias 3 e 4 de junho, Castro Verde volta a receber aquele que é já o 7º Encontro de Violas de Arame e ao qual se associa a realização simultânea do 4º Encontro de Tocadores de Viola Campaniça.

Pedro Mestre, José Barros, Vítor Sardinha, Rafael Carvalho e Chico Lobo são os tocadores convidados deste 7º Encontro que traz a palco cinco violas tradicionais “descendentes” da viola portuguesa de cordas de arame: a Viola Campaniça (Alentejo), a Viola de Arame (Madeira), a Viola da Terra (Açores), a Viola Braguesa (Minho) e a Viola Caipira (Brasil).

Promovido pela Associação de Cante “Os Cardadores”, em parceria com a Câmara Municipal de Castro Verde, este Encontro pretende reafirmar a importância da salvaguarda destes instrumentos de tradição e decorre nas instalações da Secção de Castro Verde do Conservatório Regional do Baixo Alentejo.

A iniciativa destina-se a todos os músicos, etnógrafos e curiosos que manifestem interesse pela música tradicional de raiz e comporta uma programação rica em torno da temática das violas de arame, como conversas, oficinas, exposição de cordofones e concertos que, nesta edição, conta ainda com as participações especiais da Viola Amarantina (Douro Litoral), pela mão de Eduardo Costa, da Viola Beiroa (Beira Baixa) apresentada pelos tocadores Alísio Saraiva e Ricardo Fonseca, da Viola Toeira (Beira Baixa) de João Vila, e do cavaquinho (Minho), aqui representado pelo tocador Júlio Pereira.

No âmbito deste Encontro, o Cineteatro Municipal de Castro Verde recebe, no dia 3, pelas 21h30, o espetáculo “Violas de Arame Concerto”, um encontro de sonoridades das várias violas de arame, que apresenta um repertório que incide sobre o cancioneiro tradicional e alguns temas inéditos.

De salientar que o Encontro de Violas de Arame tem a sua génese em Castro Verde, tendo a primeira edição acontecido em 2009, por ocasião da Planície Mediterrânica, pela mão do músico e tocador Pedro Mestre, facto que confirma a importância que Castro Verde teve, e tem, neste campo, assumindo um papel que importa manter e desenvolver, e para o qual o futuro Centro de Viola Campaniça, Artes e Ofícios pretende ser um valioso contributo.

Esta iniciativa conta ainda com a colaboração do Conservatório Regional do Baixo Alentejo e da Associação “Moços d’Uma Cana” e o apoio à divulgação da Rádio Castrense.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *