Educação, Évora, Sociedade

Conselho Municipal de Educação debateu necessidades e oportunidades de formação em Évora

????????????????????????????????????

Uma reunião do Conselho Municipal de Évora teve lugar no dia 4 de Abril, no Centro de Emprego e Formação Profissional de Évora, no âmbito da descentralização promovida pela autarquia eborense com vista a conhecer melhor as instituições.

Desta vez, os membros do Conselho, presidido pela Vereadora Élia Mira, tiveram a oportunidade de debater as necessidades de formação sentidas no concelho, mas também, através de uma visita guiada por António Branquinho, constatar o trabalho nesta área que é dinamizado pelo Pólo Tecnológico do referido Centro. Os princípios da Cidade Educadora aqui se constataram, com um trabalho ao serviço das pessoas e da sua qualificação. Trabalho que engloba várias áreas, entre elas a aeronáutica e a programação digital, que além de grande qualidade técnica possui elevado grau de empregabilidade. Muitas empresas de todo o país colocam aqui os seus formandos, pois têm confiança na qualidade do ensino ministrado.

Élia Mira, destacou a importância da descentralização das reuniões para conhecer melhor as instituições e o seu trabalho. “Ensino Profissional: necessidades e oportunidades no concelho e região” foi um dos pontos em debate, tendo Élia Mira feito o enquadramento. Explicou que brevemente será debatida uma nova rede escolar e também de ensino profissional, sendo fundamental ouvir os conselheiros mas também os representantes do tecido empresarial do concelho. A meta é apostar em cursos que satisfaçam as necessidades sentidas no que respeita a recursos humanos qualificados.

Esta reunião deu oportunidade a um conjunto de convidados – ARESP, ANJE, NERE, ADRAL e a Associação Comercial – mas também de membros do Conselho, de falarem do seu trabalho e dificuldades sentidas, nomeadamente no que respeita à formação.

Neste ponto, destacou-se a intervenção de João Romana, representante da Associação Nacional de Aeronáutica, Espaço e Defesa (AED) e Diretor-geral da PEMAS – Associação Portuguesa da Indústria Aeronáutica, uma das três associações sectoriais que constitui a AED. Sectores que tem vindo a crescer na última década e que continuam com um forte dinamismo, precisando de mão de obra em quantidade e em qualidade e que vende para os mercados internacionais mais exigentes.

Face a tal, abre-se aqui uma enorme de necessidade de formar pessoas, tanto para o mercado nacional como internacional, defendendo que o IEFP e a Câmara Municipal de Évora devem ter aqui um papel preponderante nesta matéria, até porque os canais de financiamento de projecto são bastante atractivos.

Atrair para Ponte de Sor, Évora e Beja empresas do sector aeronáutico, capacitação e valor acrescentado são objectos na AED a médio prazo, afirmou João Romana, falando também dos próximos passos necessários e da necessidade melhorar as vias de mobilidade, considerando que um conjunto de ligações entre Évora e Lisboa e o centro da Europa são fundamentais e também a Sevilha, bem como o estabelecimento de protocolos entre o Município desta cidade e o de Évora.

Na sua intervenção, o Director do Centro do IEFP, José Ramalho, falou um pouco daquilo que é a realidade formativa da instituição que preside e nomeadamente da mudança operada nos últimos anos em termos de formação profissional. Esta, hoje é vista sem o estigma de outrora em relação às capacidades dos formandos, mas agora com formações especializadas que dão inclusive acesso à Universidade, formando técnicos bastante qualificados em áreas cruciais e com um elevado grau de empregabilidade.

Como grande conclusão dos trabalhos desta reunião do Conselho Municipal de Educação fica o desafio do trabalho concertado para a valorização e divulgação do ensino profissional no concelho.

Foi ainda aprovada por unanimidade a proposta de reajustamento do Plano de Transportes Escolares 2016/17, onde se realçou o apoio da Câmara Municipal de Évora no que respeita à comparticipação dos alunos do secundário, num investimento que perfaz cerca de 10.000 euros/ano letivo e a resposta ao nível das aulas de apoio, ambas medidas que pretendem contribuir para a promoção do sucesso escolar.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *