Ourique, Turismo

Uma Feira com alma que voltou a projetar Ourique na Região e no País

imgLoader (1)

O Município de Ourique agradece o esforço colocado por muitos cidadãos, associações, parceiros, patrocinadores e expositores na organização da XI Edição da Feira do Porco Alentejano que decorreu entre 23 e 26 de março, em Ourique.

Sem os auspícios do bom tempo, milhares de visitantes não deixaram de dizer presente, conviver, degustar as iguarias regionais e os produtos tradicionais, ouvir boa música do nosso Cante Alentejano às novas tendências da música portuguesa, numa grande festa do Mundo Rural, da nossa identidade e da nossa terra.

Uma vez mais, a fileira do Porco Alentejano centrou as atenções de responsáveis políticos, especialistas, criadores e público em geral, com diversas expressões de um dos pilares da nossa economia local, com crescente procura nacional e internacional.

Uma vez mais, a Feira do Porco Alentejano voltou a crescer em presenças de expositores e visitantes. Foram 130 stands de expositores, 5 tasquinhas e 3 restaurantes, que somam à oferta local de restauração e de alojamento local, que estiveram ao dispor das várias dezenas de milhares de pessoas que estiveram na Feira.

Mais expositores, mais visitantes e mais novidades

Como a tenda da Confraria Gastronómica do Porco Alentejano onde se realizaram abordagens inovadoras aos pratos tradicionais, se fizeram experiências gastronómicas, se apresentaram novos produtos como a cerveja artesanal Magana e se conviveu entre dois dedos de conversa e o entoar do Cante Alentejano pela voz de várias gerações.

A realização de um Festival Taurino com a receita a reverter a favor dos Bombeiros Voluntários de Ourique, em que se realizou uma homenagem póstuma ao Comandante Eduardo Jorge Guerreiro.

A disponibilização de carne DOP para a restauração numa parceria de promoção da qualidade dos produtos base da oferta gastronómica da Feira com a Montaraz, cuja 2ª fase das instalações fabris em Garvão foi inaugurada pelo Senhor Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos.

A presença do Município de Portel- Capital do Montado como instituição convidada para o certame sublinhou a aposta na defesa de todo um património natural e de medidas para o aproveitamento de todas as potencialidades da fileira do porco alentejano, algumas por impulso governativo.

Foi também esse o sentido da defesa de medidas para o setor que o Presidente da Câmara Municipal de Ourique, Marcelo Guerreiro, formulou no encerramento do Seminário “Desafios do Porco Alentejano”:

• A criação de um grupo de trabalho em torno do Decreto Lei nº 95/2014 de 24 de junho, que permita maior clareza na sua aplicação e a estabilização de denominações das produções que sejam confortáveis para os criadores e para a industria.

• nos pequenos investimentos nas explorações agrícolas, considerando os critérios de elegibilidade, nomeadamente o volume de negócios ser igual ou inferior a 50,000€, o que para a região é um valor baixo, caso não existam candidaturas ou sejam em reduzido número, deve ser aberta a possibilidade de outros agricultores poderem aceder a esta medida.

• A defesa da reavaliação do enquadramento e acessibilidade do porco alentejano a algumas medidas agroambientais; a integração dos porcos alentejanos e dos seus cruzamentos na SNIRA, com uma única base de dados que contenha e contemple em termos de raça e modo de exploração para efeitos de Ajudas – PAC e, por último, a entrada de Portugal na lista de Países com plano aprovado de ação e execução do PCEDA – Protocolo de Controlo e Erradicação da Doença de Aujeszky.

• Defesa que, aquando da reprogramação do atual quadro comunitário, os alheamentos do anterior governo possam ser corrigidos, a bem de quem produz, de quem cria e do Mundo Rural, com a consagração de medidas agroambientais adaptadas aos nossos sistemas de produção extensivos de sequeiro, muito assentes na pecuária extensiva e na cerealicultura de apoio a essa mesma pecuária.
Entre a solidez do caminho percorrido e a consciência dos desafios, dos riscos e das oportunidades, o Município de Ourique reafirmou o seu compromisso com a fileira do porco alentejano, com a capacidade de resiliência do Mundo Rural e com a construção de um futuro para quem decidiu viver e trabalhar na nossa terra.

O empenho da comunidade na XI Edição da Feira do Porco Alentejano é um sinal de vitalidade e de determinação fazer vingar a ambição, a presença de tantos visitantes no evento é a confirmação de que se tratada de uma aposta ganha de promoção de Ourique Capital do Porco Alentejano, as palavras ouvidas e a alma que se sentiu em muitos momentos da nossa Feira confirmam a realização como um dos grandes momentos do pulsar do nosso Baixo Alentejo.

Contra chuva e vento, a confiança de parceiros e participantes, a presença das dezenas de milhares de visitantes e a projeção alcançada de Ourique Capital do Porco Alentejano são razões suficientes para continuar a trabalhar para que a próxima edição em 2018, ainda possa superar o êxito alcançado, com tradição, com inovação e com sentido de futuro.

Para o ano há mais, obrigado! Segue-se a Ovibeja e a Feira de Garvão.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *