Arouca, Cultura

Mosteiro de Arouca acolhe concerto com peças inéditas dos seus livros de música

cartaz_MAR3

Pela primeira vez, serão ouvidas ao vivo algumas das peças contidas nos livros de música do Mosteiro de Arouca. A Capella Musical Cupertino de Miranda traz ao belíssimo Cadeiral do Mosteiro algumas das jóias da música renascentista portuguesa, apresentando algumas obras pela primeira vez. O concerto, com entrada livre, terá lugar no próximo sábado, 25 de março, a partir das 19:00, no Cadeiral do Mosteiro de Arouca.

Enquanto alcançava a linha dianteira no contexto geopolítico mundial, Portugal vivia, nos séculos XVI e XVII, um momento único de criação artística, internacionalmente aclamado como a “Idade de Ouro” da música portuguesa. Para celebrar e retomar esta tradição, alicerçada num núcleo de compositores de renome mundial como Duarte Lobo (c.1565-1646), Manuel Cardoso (1566-1650), Filipe de Magalhães (c.1571- 1652) ou Pedro de Cristo (c.1550-1618), a Fundação Cupertino de Miranda lançou, em 2009, a Cappella Musical Cupertino de Miranda. Deste modo, a Fundação Cupertino de Miranda assumiu como uma das suas missões fundamentais a divulgação do riquíssimo repertório
da Música Renascentista Portuguesa.

Com uma média anual superior a quinze concertos, realizados pela Cappella Musical Cupertino de Miranda em ambientes selecionados e adequados, tanto a nível histórico como acústico – em particular em Igrejas Barrocas, que representam uma realidade verdadeiramente grandiosa no património artístico do Norte de Portugal –, a difusão da Polifonia do Renascimento tem sido uma prioridade na programação da Fundação Cupertino de Miranda. Neste contexto, a Cappella Musical (constituída por oito elementos com formação académica específica e uma relevante experiência coral, sob direção artística de Luís Toscano) apresentou já cerca de uma centena e meia de obras, incluindo mais de cinquenta estreias modernas.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *