Cultura, Évora, Sociedade

Brincas de Carnaval no Convento dos Remédios em Évora

Anexo_Brincas

No próximo dia 25 de Fevereiro, sábado, às 16 horas, a Escolinha de Brincas dos Canaviais vai ao Convento dos Remédios. Vai lá mostrar que a tradição afinal não morreu, mas que, pelo contrário, está cada vez mais viva onde deve estar: no coração popular que a ostenta com orgulho e sabedoria.

A Escolinha de Brincas vai brincar no sábado, vai divertir-se e vai de certeza divertir que lá quiser estar.

No sábado brinca-se, mas na segunda-feira, dia 27, às 18 horas, conversa-se. De portas abertas, o tema vai ser abordado de forma mais séria, com presença de especialistas, e com a apresentação de um documentário por José Barbieri, da Memória Imaterial.

Apoiar as brincas, mas também criar e manter condições para que as tradições de um modo geral não se percam, para o que riquíssimo património cultural imaterial seja preservado, tem sido uma preocupação importante da Câmara Municipal de Évora.

Em Janeiro de 2016 a Autarquia celebrou um acordo de cooperação com a Memória Imaterial – Cooperativa Cultural para a promoção e apoio na preservação do património cultural imaterial do Concelho. Este acordo veio consolidar e atribuir maior dinâmica ao trabalho que vinha sendo desenvolvido no âmbito do Projeto Municipal designado por “Centro de Recursos da Tradição Oral e do Património Imaterial do Concelho de Évora”, que foi criado em 2014 na sequência do Projeto Europeu “Oralidades”. Incrementou-se sobretudo a investigação com intervenção ativa junto dos diversos agentes, visando o registo e preservação património imaterial, com especial incidência na tradição oral.

O ressurgimento com nova vitalidade das Brincas de Carnaval em Évora é fruto do esforço popular, da vontade de quem desenvolve a sua criatividade no ambiente dos clubes e das associações de bairro, e que a Câmara Municipal regista com orgulho e satisfação. Fica o compromisso de continuar a estudar, a incentivar e a apoiar quem em primeira mão é responsável pela preservação da identidade cultural da cidade e da região.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *