Celorico de Basto, Sociedade

Tertúlias de Amor marcam as celebrações do S. Valentim em Celorico de Basto

_DSC4629

Os idosos que integram o programa Celorico a Mexer estão, durante a semana de 13 a 16 de fevereiro, a celebrar o Amor, com as tradicionais “Tertúlias de Amor”. A ação decorre no auditório do Prado e conta com a participação de todos os idosos que integram o programa.

De forma informal e divertida a iniciativa procura recordar os grandes clássicos românticos da música portuguesa e, ao mesmo tempo, levar os idosos a relembrar as mais românticas histórias das suas vidas.

“Celebramos o Amor, seja ele qual for, e celebramos sobretudo, a necessidade de afeto, a necessidade de abraços longos, da ternura das mãos que se enlaçam, das histórias que se contam e que se ouvem com tanta atenção. Proporcionamos aos nossos idosos a hipótese de recordar, com histórias maravilhosas que nos encantam” disse o presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva.

No primeiro dia de tertúlia estiveram os idosos do grupo do Corgo, do grupo de Gagos e Molares, do grupo de Gémeos, do grupo de Sta. Tecla e Infesta e do grupo de Vale de Bouro. Durante a tarde, passaram pelo palco do auditório do Prado músicas de vários intérpretes portugueses nomeadamente “Jardins Proibidos” de Paulo Gonzo, o “Autocarro do Amor” de Jorge Ferreira, o “Pica do 7” de António Zambujo entre outras. As tertúlias proporcionaram momentos únicos aos intervenientes e à plateia que se deliciou com as histórias contadas.

No dia 14 de fevereiro, dia de S. Valentim, as Tertúlias de Amor contaram com a presença do grupo de Codessoso, o grupo de Moreira do castelo, o grupo de Carvalho, o grupo de Arnoia, o grupo de Veade e o grupo de Borba da Montanha de acordo com a ordem de atuação. No palco foram interpretados vários clássicos como o “primeiro beijo” de Rui Veloso, “Azar na Praia” de Nel Monteiro e “Amor de Água Fresca” da Dina. E como habitualmente as tertúlias encheram a sala de animação e alegria com histórias de amor contadas na 1ª pessoa. Ontem, o palco foi do grupo de Caçarilhe e Ourilhe, do grupo do Rego, do grupo de Agilde, do grupo de Britelo e do grupo de Fervença tendo sido interpretadas músicas como “Nini dos meus 15 anos” de Paulo de Carvalho, a “Desfolhada” de Simone de Oliveira, “Maravilhoso Coração” de Marco Paulo. Hoje, último dia de atividade, a iniciativa é aberto ao público e conta com os restantes grupos do Celorico a Mexer e com muita animação e alegria na tradicional Tertúlia de Amor.

 

Helena Martinho, Coordenadora dos Serviços de Ação Social e Saúde do Município reforçou a necessidade dos afetos em todas as alturas da vida. “Queremos, com estas celebrações, que se divirtam que se sintam acarinhados, que vivenciem momentos únicos feitos propositadamente para vocês. Recordar é viver, já dizia a canção, por isso recordem com ternura e vivam sempre rodeados de carinho”.

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *