Destaque, Palmela, Sociedade

Município de Palmela avança com valorização de sítios arqueológicos e espaços de lazer na zona da Arrábida

Arrábida - Palmela

O Município de Palmela viu aprovadas duas candidaturas relacionadas com o território Arrábida e com a sua valorização e fruição. Trata-se de candidaturas ao PORlisboa2020, no âmbito do PDCT-AML (Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial da Área Metropolitana de Lisboa), com o apoio do FEDER, e inserem-se na Prioridade de Investimento 6.3 Valorização do Património Cultural e Natural.

“PRARRÁBIDA – Valorização de sítios arqueológicos (Grutas da Quinta do Anjo e Alto da Queimada)” apresenta um valor global de 80.000,00€ e tem, como principais objetivos, a conservação, restauro e musealização de dois dos sítios arqueológicos visitáveis do concelho, enquadrados na Arrábida, que muito contribuem para o conhecimento que temos, hoje, da História e do povoamento da região ao longo dos séculos: as Grutas Artificiais de Quinta do Anjo – onde foi descoberta a cerâmica campaniforme, internacionalmente conhecida como “tipo Palmela” – e o povoado muçulmano do Alto da Queimada.

A candidatura “PRARRÁBIDA – Espaços de lazer e bem-estar” prevê um montante global de 50.000,00€ e consiste na criação de um circuito de descoberta e interpretação do Parque Natural, a partir da Serra do Louro, contribuindo para uma maior atratividade e fruição, do ponto de vista turístico, desportivo e de lazer, sempre de forma sustentável. A criação e/ou ordenamento de percursos e espaços de visitação, a criação de postos de observação da vida selvagem, a instalação de sinalética e painéis interpretativos ou a criação e/ou requalificação de espaços de estadia na área são algumas das ações previstas.

Ambas as candidaturas estão inseridas num projeto mais amplo, designado “PRARRÁBIDA – Plano de Ação para a conservação, valorização e promoção do património histórico, cultural e natural da Arrábida”, que engloba um conjunto diversificado de ações e vários parceiros, nomeadamente, os municípios de Sesimbra e Setúbal, a ADREPES – Associação de Desenvolvimento Regional da Península de Setúbal, a Associação de Municípios da Região de Setúbal e a Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa. Recorde-se que a Arrábida é candidata a Reserva da Biosfera da UNESCO.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *