Albergaria-a-Velha, Sociedade

Câmara de Albergaria-a-Velha vai abrir concursos no valor de 1,2 milhões de euros

10346634_625136460903156_8808086402904031443_n

A Câmara Municipal aprovou em reunião do Executivo, na quarta-feira, a abertura de dois concursos de obras no valor de 1,2 milhões de euros. Trata-se da requalificação da Rua Gonçalo Eriz, em Albergaria-a-Velha, e a reabilitação de infraestruturas rodoviárias nas vias afetadas pelas intempéries do último inverno.

A Rua Gonçalo Eriz, que liga a Igreja Matriz ao Cemitério de Albergaria-a-Velha, é uma via no centro da cidade, que necessita de intervenção urgente, de forma a garantir a segurança rodoviária e minimizar futuros custos de manutenção mais elevados. As obras vão incidir no traçado, que é sinuoso e estreito, e na sua envolvente, atenuando os dois estrangulamentos da via, junto à Igreja Matriz e na passagem superior sobre a Linha do Vale do Vouga. O concurso compreende também uma intervenção na zona envolvente à Igreja Matriz. A base de licitação do concurso público tem o valor de 697 mil euros, mais IVA, para um prazo de execução de 150 dias.

Relativamente à reabilitação de infraestruturas rodoviárias nas vias afetadas pelas intempéries, o concurso público tem uma base de licitação de 534 548,00 euros, mais IVA, para um prazo de execução de 120 dias. Estão previstas intervenções na Rua do Covelo, em Valmaior, que faz a ligação da Rua do Cemitério a Rendo, na EN 16, entre a Rotunda do IC2 e Valmaior, e na Ponte da Biscaia, nas Frias, todas na Freguesia de Albergaria-a-Velha e Valmaior. Estão também previstas intervenções na EM 556-2, que faz a ligação entre Fradelos e o lugar do Carvalhal, na Branca, e na EM 577, que liga a Fontinha a Alquerubim. As intervenções previstas são a pavimentação em betuminosos, reabilitação/construção de obras de arte (pontes e passagens superiores), intervenções em órgãos de drenagem e sinalização.

Para esta empreitada, o Município de Albergaria-a-Velha apresentou uma candidatura ao Fundo de Emergência Municipal, tendo em conta que o período entre janeiro e fevereiro deste ano registou eventos meteorológicos excecionais, que provocaram graves danos nas vias de comunicação.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *