Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso homenageou Cunha de Leiradella

homenagem-cunha-de-leiradella-1

É um orgulho para a Póvoa de Lanhoso ter uma figura como Cunha de Leiradella. Esta foi a mensagem principal que o Presidente da Câmara Municipal, Manuel Baptista, deixou no decorrer da homenagem prestada àquele escritor, dramaturgo e jornalista Povoense, premiado internacionalmente.

“Esta é uma homenagem merecida a uma figura da literatura da nossa terra, que tanto tem contribuído para a divulgação da Póvoa de Lanhoso nos vários recantos do mundo onde a sua obra é lida e estudada”, salientou Manuel Baptista, à margem da cerimónia, que decorreu no dia 16 de novembro, no âmbito da iniciativa “Outono Literário”, promovida pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, através da Biblioteca Municipal. Na precisa data em que Cunha de Leiradella completou 82 anos de vida.

Rodeado de familiares, amigos e leitores, Cunha de Leiradella recordou o seu percurso de vida. Também estiveram presentes os Vereadores Gabriela Fonseca e André Rodrigues. A sessão englobou ainda a intervenção do professor José Oliveira sobre a sua obra. Foram ainda lidos excertos de textos do autor. A festa englobou ainda a entrega de presentes, o bolo de aniversário e a oferta da publicação “Cunha de Leiradella – um autor sob duas bandeiras”, uma antologia com estudos e depoimentos que Sônia Maria van Dijck Lima (Brasil) e José Pereira de Oliveira (Portugal) começaram a organizar em 2010, tendo sido publicada no Brasil em 2013 com um patrocínio da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso e já com distribuição em Portugal. A sessão foi ainda animada musicalmente pelas “Mulheres do Minho”.

Pelo contributo para a divulgação da Póvoa de Lanhoso e da Língua Portuguesa, em 2014, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso prestou igualmente reconhecimento a Cunha de Leiradella, no Dia do Concelho (25 de Setembro).

Cunha de Leiradella nasceu na antiga freguesia de São Paio de Brunhais em 16 de novembro de 1934. Emigrou para o Brasil em 1958. Viveu 45 anos no Brasil, mas continua a fazer ponte aérea entre os dois países, pois a sua esposa, filho e netos vivem no Rio de Janeiro.

Dramaturgo, romancista, contista, ensaísta, crítico literário e guionista de cinema, vídeo e televisão, escreveu 13 peças de teatro. Nove encenadas e 3 publicadas no Brasil e em Portugal, e 4 ainda inéditas. Duas, “As Pulgas” e “Brandos Costumes (no país dos)”, foram encenadas na Póvoa de Lanhoso, com direção do autor.

A sua obra literária obteve 41 prémios no Brasil, em Portugal, no México e na Argentina, 15 dos quais como vencedor.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *