Educação, Évora

Câmara de Évora empenhada na valorização da Escola Pública

????????????????????????????????????

O novo ano letivo de 2016-2017 já começou em Évora com um conjunto de iniciativas para a comunidade educativa, organizadas pela Câmara Municipal em conjunto com diversos parceiros, onde a valorização da Escola Pública é o foco principal.

Ações de formação para pessoal docente e não docente estão já a decorrer. A Vice-Presidente da Câmara Municipal, Élia Mira, esteve na manhã de 7 setembro na abertura de uma dessas ações para docentes “Como lidar com a agressividade nos alunos” em curso na Escola Básica Manuel Ferreira Patrício.  Trata-se de uma ação de formação dirigida a docentes que incide nas causas destas problemáticas e na procura de estratégias que possibilitem uma melhor gestão em contexto escolar.

“A principal preocupação é a defesa da Escola Pública de qualidade” eis a principal ideia partilhada pela Vice-Presidente na abertura da referida formação. Élia Mira sublinhou a importância que a autarquia deu à preparação atempada do ano lectivo em conjunto com os Agrupamentos de Escolas, professores, entre eles os das Atividades de Enriquecimento Curricular e pessoal não docente.

Refira-se que a sensibilidade da comunidade educativa para os problemas existentes foi ouvida aquando da preparação da Carta Educativa através de reuniões temáticas. De entre as maiores preocupações do Município nesta área da educação destaca-se a melhoria das condições de aprendizagem para os alunos bem como de trabalho para pessoal não docente. As prioridades da autarquia passam assim  pela requalificação dos espaços físicos (sendo exemplos as escolas básicas de S. Mamede e Manuel Ferreira Patrício), mas também pela melhoria do equipamento, seja mobiliário ou informático (avança já este ano a compra de computadores e impressoras, processo que será faseado). A intervenção no edificado foi alvo de candidaturas a fundos europeus,  sendo espaços exteriores um trabalho a fazer gradualmente pelo Município com os seus próprios recursos.

O prioridade mais imediata da intervenção da Câmara é resolver a falta de pessoal não docente, explicou a autarca revelando que foi recentemente  realizada uma reunião com a Secretária de Estado Adjunta que se comprometeu com a sua resolução. Deste modo, a Câmara poderá abrir concurso para 42 assistentes operacionais a termo resolutivo certo. Uma decisão que permitirá uma resposta qualificada nas escolas e a substituição de contratos de emprego/inserção.

Outro dossier importante é o arranque das Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC). Foram já colocados todos os professores que vão trabalhar nesta área. Foram ainda alargados, na medida das possibilidades, os horários atribuído aos docentes. Élia Mira defendeu, nesta oportunidade,  a alteração a nível nacional das condições contratuais para professores de AEC no sentido de uma maior dignificação das suas condições de trabalho.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *