Cultura, Estarreja

Deolinda, Camané e Mário Laginha, Ana Bola, Fernando Mendes e muitos outros sobem ao palco na rentrée do Cine-teatro de Estarreja

noivoPorAcaso

A unidade na diversidade distinguem a programação do último trimestre de 2016 no Cine-teatro de Estarreja. De setembro a dezembro poderá assistir a mais de 40 eventos que vão do teatro à dança, da música às conversas e palestras, do cinema às oficinas e workshops.

Terminada a temporada 2015/2016, de setembro de 2015 a julho de 2016, com 245 eventos apresentados e mais de 34 mil espectadores a passarem pelo CTE, continuamos a apostar numa programação cultural transversal, abrangente nas suas diferentes áreas, afirmando a importância do envolvimento e participação da comunidade, tendo sempre no horizonte os princípios de Educação pela Arte e Aprendizagem ao Longo da Vida, preconizados pelo nosso LAC – Laboratório de Aprendizagem Criativa.

Teatro para todos os gostos
Em setembro, dias 23 e 24, abrimos com Teatro e um ciclo que se pretende com continuidade: Teatro em Mono! Monólogos, desta vez no feminino. Um texto de Regina Guimarães para a arte de Susana Madeira, numa conversa de cabeleireiro no dia 23 de setembro e, para no dia seguinte, “Ana Bola sem filtro” vem-nos confirmar uma atriz sem medos e sem filtros.

Em Outubro, na comemoração do mês do sénior, regressa o humorista de “maior peso” mediático do país: Fernando Mendes com “Noivo por Acaso”.
Em novembro (dia 12), o livro “Uma menina está perdida no seu século à procura do seu pai”, de Gonçalo M. Tavares, será o ponto de partida para um projeto pioneiro no nosso país, da companhia Crinabel Teatro, não só pela especificidade do seu elenco, portadores de trissomia 21, como pelas ações artísticas que lhe têm servido de base.

E se abrimos com esta arte cénica, encerramos em Dezembro (dia 17) com 1,94 m de talento de Bruno Nogueira, de volta ao stand-up comedy, em nome próprio.

Um trimestre recheado de momentos raros de boa música
Outubro é também o mês em que o Jazz passa pelo palco do CTE escrito a dourado: ESTARREJAZZ, o festival, na sua 11ª edição, consagra o contrabaixo e os seus executantes: “The Mingus Project”, Carlos Barreto Locomotiv, e a forte armada espanhola com “Trio Pedro Calero” e “CMS – Colina, Miralta, Sambeat Trio. As Big Bands também estarão em destaque nesta edição do Estarrejazz. Na abertura, a 6 de outubro, a Big Band e o Coro do Conservatório Música Calouste Gulbenkian de Aveiro, e a encerrar, no dia 15 de outubro, a Big ebulição qualitativa da nossa “Big Band Estarrejazz” vai ser testada por um ícone do contrabaixo, Zé Eduardo, que também dividirá a direção da nossa formação com o seu diretor artístico: Pedro Moreira.

Mas a dourado, e com uma “corzinha de verão”, também se escreve “Deolinda”, que nos vem contar “Outras Histórias” num regresso ao palco do CTE com seu mais recente trabalho, a 5 de novembro.

A 16 de outubro comemora-se o Dia da Região de Aveiro que este ano será celebrado em Estarreja com um concerto “Danças Ocultas & Orquestra Filarmonia das Beiras” apresentando dois projetos artísticos da nossa Região que nos orgulham e que, quando se juntam em momentos únicos, extravasam a evidente qualidade musical.

Um piano, uma voz… “Fado Revisitado por Camané e Mário Laginha”! E se o piano for tocado por Mário Laginha e a voz for a de Camané, o que chegava para fazer um bom encontro musical, passa a ser argumento bastante para se esperar algo de muito especial. Dia 3 de dezembro, vai marcar este final de ano 2016 no CTE com mais um momento raro!

O Café-Concerto tem-se afirmado como um espaço versátil, onde a música tem um lugar privilegiado, mas outros talentos e performances também se mostram aqui. Até ao final de 2016, o ciclo Outonalidades, numa já antiga parceria com a D’orfeu, reafirma o espaço Café-Concerto com Pedro Mestre, Gileno Santana & Toniko Goulart, e Uxia com João Gentil.

O encanto da Dança contemporânea 
O encanto da dança contemporânea refina os sentidos com duas peças de criadores de enorme qualidade. A 29 de outubro, o aclamado Paulo Ribeiro traz-nos um diálogo com as imagens, imagens com passado mas futuro incerto: “Ceci n’est pas un film. Dueto para maçã e ovo”.

E numa ousada produção, dia 10 de dezembro sobe ao palco “Lastro”, um espetáculo onde os músicos e bailarinos reinventam o seu lugar num espaço de abandono. Nas palavras de Né Barros, “sob um céu vermelho passa-se um mundo real e imaginário; como numa zona de perigo, músicos e bailarinos habitam um espaço teatral que é um espaço de abandono”.

Continuamos a “Cerebrar” os sentidos com o LAC
Se as nossas propostas são sempre pontuadas pelos princípios do nosso LAC – Laboratório de Aprendizagem Criativa, eventos há, em que a sua importância é determinante. Este trimestre, os amantes da dança e do movimento corporal terão o privilégio de poder trabalhar com os bailarinos e coreógrafos Paulo Ribeiro e Né Barros que orientam workshops de dança enquadrados nas duas peças apresentadas. As inscrições já estão abertas e a lotação é limitada!

O feriado de 8 de dezembro, já com um aroma a Natal, é para ser vivido em família e a nossa proposta é para os mais novos: “Crassh Babies” é um projeto vencedor de vários prémios nacionais e, recentemente, vencedor do prémio “Público” no festival Internacional de Teatro de Castilha e Leon – Espanha. Bebés, crianças e famílias são convidadas a emergir numa combinação única de percussão, movimento e comédia visual.

E voltando às “Bocas de Cena”, teremos um interventivo teste de som aberto á comunidade por inscrição, onde as cobaias serão os “Deolinda”.

No âmbito do espetáculo “Uma menina está perdida no seu século à procura do seu pai”, Crinabel Teatro vai desenvolver oficinas conceptuais com técnicos e utentes da CERCIESTA.

Cine-Teatro de Estarreja, onze anos na fila da frente, para continuar!

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *