Destaque, Turismo, Vila do Bispo

Vila do Bispo acolhe V edição do Festival do Perceve – 2 a 4 de setembro

Cartaz (9)

Vila do Bispo recebe, de 2 a 4 de setembro, a V edição do Festival do Perceve, evento que decorrerá na Escola E.B.2,3 de S. Vicente.

Nestes três dias os visitantes terão ao seu dispor várias iguarias que o município tem a nível gastronómico, onde o perceve será certamente o rei. Lapas grelhadas, mexilhões, moreia frita, navalheiras, salada de polvo, papas de xerém, papas de mexilhão e choco frito são outras das variedades gastronómicas que irão fazer as delícias de todos aqueles que visitem este certame.

O evento, que já é um lugar de passagem obrigatória, conta ainda com muita animação musical. Assim para a sexta-feira (dia 2) está prevista a atuação do Quarteto de Fado ao Sul e do grupo Jô-Kina & Bakorinhos. Já no sábado (dia 3) marcara presença o grupo Albuhera e no domingo (dia 4) está agendado a atuação de Mr.Carly, Shoo e Pajó e do DJ Dope Boy.

Este ano a organização do evento decidiu, tendo em conta o elevado número de visitantes nas edições anteriores, aumentar o espaço onde irá decorrer o certame. Assim a iniciativa irá realizar-se numa tenda e no Pavilhão da Escola, onde existirão stands com artesanato, produtos típicos da terra, entre outros.
Para receber os convidados, as portas abrirão todos os dias pelas 14h00 e encerrarão pelas 02h00 da manhã.

Organizada pela Associação de Marisqueiros de Vila do Bispo e Costa Vicentina, com o apoio logístico e financeiro da Câmara Municipal, esta iniciativa tem como objetivo promover uma das maiores iguarias gastronómicas do município, o perceve.

Recorde-se que os perceves são abundantes na Costa Vicentina, mas muito difíceis de apanhar, devido aos locais de difícil acesso onde se encontram. Os marisqueiros descem as falésias para os apanhar, o que é perigoso tendo em conta a inclinação das mesmas. Às vezes a sua vida depende do companheiro que fica em cima, junto à corda de segurança, para apanhar perceves nas rochas, expondo assim as suas vidas a perigos constantes. É considerado como um dos mariscos mais seguros, em termos de qualidade e conservação.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *