Destaque, Espinho, Sociedade

Espinho adere à Assocação de Municípios Terras de Santa Maria

logo_amtsm
O Município de Espinho passa a integrar a Associação de Municípios de Terras de Santa Maria, juntando-se a S. João da Madeira, Vale de Cambra, Oliveira de Azeméis, Arouca e Santa Maria da Feira.

O processo de integração vinha sendo conduzido desde há algum tempo pelo Presidente da Câmara Municipal de Espinho, Pinto Moreira e acaba de ser aprovado em reunião de Câmara.

A fundamentação da adesão a esta entidade intermunicipal assenta em ligações históricas de grande proximidade territorial, sociológica, a fluxos migratórios enraizados e a importantes pontos de contacto e em comum entre todos estes concelhos.

O Presidente da Câmara Municipal de Espinho, Pinto Moreira considera que “faz todo o sentido aprofundar esta relação e estabelecer sinergias para o desenvolvimento de cada um dos Municípios que integram a Associação de Terras de Santa Maria. A região a sul do Douro tem uma identidade própria, que quer ver respeitada e reconhecida por todos os interlocutores e agentes políticos do país e da região norte”.

O autarca espinhense acrescenta ainda “os Municípios que compões esta Associação têm uma localização geoestratégica preferencial, beneficiando do facto de todos eles estarem integrados na Área Metropolitana do Porto (AMP) e pertencerem simultaneamente ao distrito de Aveiro, que como é sabido tem um dinamismo económico e empresarial invejável”.

“Espinho vai certamente beneficiar do conhecimento, da experiência e da capacidade instalada da Associação e dos municípios que já a integram e estes ganharão também com a ‘frente atlântica’ que Espinho lhes proporciona”, conclui Pinto Moreira.

Sobre a Associação de Terras de Santa Maria e o Município de Espinho:
A Associação de Municípios das Terras de Santa Maria (AMTSM), foi constituída em 1985 pelos Municípios de Oliveira de Azeméis e S. João da Madeira,  contando atualmente igualmente com os Municípios de Vale de Cambra, Arouca e Santa Maria da Feira como associados.
Esta Associação de Municípios tem como objeto social “o planeamento, a elaboração de projetos, o financiamento, a execução, a gestão e a manutenção de atividades relacionadas com a articulação dos investimentos municipais de interesse intermunicipal e a coordenação, das atuações entre os municípios e os serviços da administração central, nas seguintes áreas: Infraestruturas de saneamento básico e abastecimento público; Saúde; Educação; Ambiente, conservação da natureza e recursos naturais; Segurança e proteção civil; Acessibilidades e transportes; Equipamentos de utilização coletiva; Apoio ao turismo e à cultura; Apoios ao desporto, à juventude e às atividades de lazer; Obras e melhoramentos intermunicipais; Distribuições energéticas; Tecnologias de informação; Planeamento e gestão estratégica, territorial, económica e social; Gestão territorial na área dos municípios integrantes.”

O Município de Espinho, autarquia e concelho limítrofe do Município de Santa Maria da Feira, associado da AMTSM, tem historicamente ligações de grande proximidade territoriais, comunitárias e sociais às terras e gentes de Santa Maria da Feira. De igual modo, Espinho mantém fortes ligações com as gentes e território dos Municípios de Oliveira de Azeméis e São João da Madeira, que muito embora não sendo autarquias limítrofes, são concelhos vizinhos com grandes pontos de contato e em comum com Espinho. O concelho de Espinho e sua população possuem também estreita ligação com estes três municípios através da Linha do Vouga, que permitiu e continua a assegurar, a mobilidade entre estes núcleos territoriais e possibilitou fluxos migratórios que fomentaram o desenvolvimento destes três concelhos. Sendo, igualmente, relevante salientar que não deve ser esquecida a relação de Espinho com Arouca e Vale de Cambra, motivada por fluxos migratórios enraizados historicamente, existindo, de facto, uma comunidade arouquense muito ativa em Espinho, com expressão de forma particular no setor da restauração. Por outro lado, o Município de Espinho reconhece o valor a importância do associativismo autárquico e, sobretudo, a mais-valia que representa atualmente a união de esforços entre autarquias municipais que, pela sua proximidade territorial e identidade de valores e pontos de contacto culturais e sociais,  podem conjugar os seus esforços, recursos e experiência com vista a uma melhor e mais eficaz prossecução das respetivas atribuições e competências.
Com efeito, Espinho já se associou à Associação de Municípios de Terras de Santa Maria para a realização de um estudo de viabilidade e modernização daquela Linha de Vouga, neste espírito de colaboração com estes municípios que também são servidos por esta importante infraestrutura ferroviária. De igual modo, a utilização do CIAMTSM, pelo município e pelo público em geral, é dotado das mais modernas soluções na área e capaz de, simultaneamente, responder ao problema e evoluir em caso de necessidade, com evidentes economias de meios e de escala.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *