Marinha Grande, Sociedade

“Oficina da Música” em execução na Marinha Grande

OficinaMusica1

A Câmara Municipal da Marinha Grande iniciou a remodelação e ampliação do edifício para a Oficina da Música, situado no Parque Mártires do Colonialismo, na Marinha Grande, que implica um investimento superior a 200 mil euros.

O objetivo da intervenção é a remodelação e ampliação do antigo edifício de apoio aos campos de ténis do Parque Mártires do Colonialismo, adaptando o seu uso para atividades pedagógicas e artísticas de âmbito musical, de carácter formativo e experimental, passando este a ser designado por “Oficina da Música”.

O edifício objeto da intervenção é propriedade do Município da Marinha Grande e encontra-se inserido em pleno Parque Mártires do Colonialismo, na proximidade dos campos de ténis, em área arborizada.

Trata-se de um imóvel construído em 1989, sob projeto elaborado por encomenda da Câmara Municipal da Marinha Grande, e decorridos mais de 20 anos sobre a data de construção, o imóvel denota alguma degradação fruto do abandono o que inviabiliza a sua utilização, sendo fonte de vandalismo o que contribui para uma imagem negativa do espaço envolvente, o que importa debelar colocando este espaço ao serviço de todos.

O objetivo principal da intervenção e que será a linha principal de desenvolvimento do projeto, é a criação de um espaço polivalente, capaz de acolher a atividades regulares de formação e educação musical e artística.

Este novo corpo irá ter uma linguagem arquitectónica com ênfase numa imagem oficinal, privilegiando a integração dos espaços exteriores no próprio edificado (portões, pátios), bem como do edificado existente a remodelar. Interiormente procurou-se uma atitude informal do espaço, que irá ter maior ênfase na escolha dos materiais, procurando uma imagem homogénea (cor) que permita a integração de diferentes intervenções temporárias, e estimular ao aparecimento de novas propostas de intervenção artística por parte dos seus futuros utilizadores.

Os diferentes espaços foram organizados segundo uma lógica definida em colaboração com a “Associação Tocándar”.

A empreitada foi adjudicada por 200 mil euros, acrescidos de IVA, e um prazo de execução de 120 dias. A obra foi consignada a 18 de julho.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *