Cultura, Reguengos de Monsaraz

Monsaraz Museu Aberto vai fechar com Cante alentejano e os dj’s No Maka e Malasiano

Grupo Coral de Beja

O último fim de semana do Monsaraz Museu Aberto vai integrar a Festa do Cante nas Terras do Grande Lago e a Dark Sky Party Alqueva. Este festival que está a celebrar 30 anos decorre na vila medieval até ao dia 31 de julho e pretende abordar o que de melhor se faz na cultura e nas artes do espetáculo. O Monsaraz Museu Aberto é organizado desde 1986 pelo Município de Reguengos de Monsaraz e a partir de 1998 começou a realizar-se com periodicidade bienal.

Na sexta-feira, dia 29 de julho, pelas 19h, será inaugurado o Clube Dark Sky, que vai ficar instalado na antiga Escola Primária da aldeia de Cumeada. Às 22h, no Largo D. Nuno Álvares Pereira, realiza-se o espetáculo Alentejo Coral Jovem, que vai juntar o Grupo Coral Os Bel’Aurora de Campinho, Grupo Coral de Beja, Grupo Coral Os Discípulos de Beja, Grupo Coral Moços da Aldêa de Cabeça Gorda, Grupo Coral Juvenil Os Rama Verde de Vila Nova da Baronia e Os Dona Zéfinha. O padrinho deste encontro de grupos corais de jovens será Miguel Gameiro.

Este encontro de grupos corais juvenis reflete as indicações da UNESCO quando distinguiu o Cante alentejano como Património Imaterial da Humanidade, ao responsabilizar toda a comunidade para a sua preservação e salvaguarda. Nesta noite vão ouvir-se grupos de jovens que se dedicam ao Cante alentejano, demonstrando a importância que este património assume no seio das comunidades.

A última noite Monsaraz Emotions inicia-se às 00h30 com o Dj Malasiano, de Redondo. A fechar a pista de dança da Praça de Armas do Castelo estarão No Maka, os dj’s revelação de 2013, ano em que lançaram o primeiro single, “Levanta a mão”. As batidas afro e kuduro são as referências dos sets de No Maka que em 2014 lançaram o seu primeiro álbum, “Na Casa”.

No dia 30 de julho, pelas 22h, no Largo D. Nuno Álvares Pereira, realiza-se a Gala do Cante, com o Grupo Coral e Etnográfico Amigos do Alentejo do Feijó, Grupo Coral Os Rurais de Figueira de Cavaleiros, Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz, Mário Moita, Manuel Sérgio e José Manuel Farinha. Os intervenientes neste espetáculo vão revelar a alma do Cante, a herança transmitida pelos antepassados e que constitui a identidade cultural desta região.

A fechar a bienal cultural, no domingo, dia 31 de julho, pelas 20h, no jardim da Casa da Universidade de Évora, decorre uma adiafa com o Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz, Grupo Coral Estrelas do Sul – Portel, Grupo Coral da Granja e Grupo Voces Al Alba, de Alconchel (Extremadura espanhola). Nesta adiafa será servido vinho branco CARMIM 30, produzido para assinalar os 30 anos do Monsaraz Museu Aberto.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *