Mangualde, Sociedade

Mangualde estabelece protocolo para a prevenção e vigilância de incêndios florestais

Protocolo de vigilância CMM - BVM - SCMM - ESCUTEIROS

A Câmara Municipal de Mangualde estabeleceu um protocolo de colaboração para a prevenção e vigilância de incêndios florestais, onde foram definidas as condições básicas para a operacionalização do posto de vigia do Monte da Senhora do Castelo. Em cooperação com a autarquia estão a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Mangualde (AHBVM), a Santa Casa da Misericórdia de Mangualde (SCMM), o Agrupamento 299 do Corpo Nacional de Escutas (CNE) e a Guarda Nacional Republicana (GNR), através do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA). Mangualde tem sido atingido por incêndios de grandes dimensões, que causam elevados prejuízos económicos e ambientais para o concelho, para os cidadãos e para as empresas.

 

POSTO SERÁ INSTALADO NA TORRE DA CAPELA

A especificidade orográfica do concelho não permite visualizar uma área a partir do posto de vigia da Serra das Pousadas. A instalação de um posto de vigia na torre da Capela de Nossa Senhora do Castelo permite colmatar a falha, aumentando a bacia de visibilidade e contribuindo para uma vigilância mais eficiente.

O posto será instalado na torre da capela, propriedade da Santa Casa da Misericórdia. A resposta operacional de primeira intervenção e combate aos incêndios florestais deflagrados no concelho está ao encargo dos Bombeiros de Mangualde.

O Agrupamento 299 irá vigiar a área abrangida pelo posto da Capela de Nossa Senhora do Castelo. O CNE é considerado um agente de proteção civil de segunda linha, consagrado na Diretiva Nacional de Proteção Civil, e tem como missão prestar apoio com meios humanos e materiais para cumprir as ações que lhe forem atribuídas. A GNR, através do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente, fica encarregue de assegurar a coordenação ao nível nacional da atividade de prevenção, vigilância e deteção de incêndios florestais e de outras agressões ao meio ambiente. Através do Serviço Municipal de Proteção Civil e do Gabinete Técnico Florestal, a autarquia irá promover ações de Defesa da Floresta Contra Incêndios e irá articular com os vários agentes de Proteção Civil presentes no território concelhio.

O referido protocolo tem o período de vigência de 2 meses, entre 1 de julho e 31 de agosto de 2016.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *