Portimão, Sociedade

Portimão foi ponto de encontro a nível nacional e regional para questões da migração e diversidade cultural

DIREITOS_RESERVADOS

Nestes últimos dias Portimão foi ponto de encontro e de debate para várias questões ligadas aos migrantes e à diversidade cultural ao acolher por um lado, no passado dia 17 de junho, a reunião regional dos CLAIM do Algarve e por outro a VII Reunião da Rede Portuguesa das Cidades Interculturais, que teve igualmente o Município como anfitrião no dia 21 de junho.

Coube ao Município de Portimão enquanto entidade mais recente que se juntou à grande família da Rede CLAIM, acolher no âmbito do plano de actividades do Gabinete de Apoio às Políticas Locais de Integração de Migrantes- GAPLIM, a reunião regional dos CLAIM do Algarve 2016.

Numa nova fase de intervenções a nível local, na qual se pretende reforçar o papel das autarquias em parceria com as entidades da sociedade civil locais e melhorar a articulação entre si no território, esta reunião contou com a participação de técnicos das várias Câmara Municipais que integram a rede regional do CLAIM, nomeadamente, Portimão, Faro, Lagos, Albufeira e Loulé, bem como elementos do GAPLIM, do GAIR- Gabinete de Apoio à Integração de Refugiados e a presença do vogal do conselho directivo do Alto Comissariado para as Migrações e do coordenador do CNAI de Faro.

Recorde-se que o CLAIM Portimão foi inaugurado no passado dia 20 de abril, tendo sido, o primeiro a nível nacional a abrir com esta nova nomenclatura que veio alterar a designação CLAII (Centro Local de Apoio à Integração de Imigrantes), através de um protocolo de colaboração estabelecido entre o Alto Comissariado para as Migrações e a Câmara Municipal de Portimão e veio reforçar o Plano Municipal para Integração do Migrante que o município implementou em 2015, trabalho que tem sido desenvolvido em parceria com todas as entidades, de forma a ter um território mais participado, planeado e inclusivo.

Desde a sua abertura até ao final do mês de maio o CLAIM de Portimão tem vindo a ser procurado por vários migrantes, maioritariamente oriundos do Brasil, Cabo Verde e Guiné Bissau, com idades compreendidas entre os 36 e 45 anos de idade que, aqui encontram soluções para os obstáculos a ultrapassar nos primeiros meses de adaptação a uma nova vida, tendo sido contabilizados durante este período trinta e um atendimentos, sobretudo em torno de questões ao nível da legalização; nacionalidade e renovação da autorização de residência temporária.

A existência do CLAIM Portimão tem permitido estabelecer um contato mais direto com a população migrante e um acompanhamento da mesma na resolução dos seus assuntos mais práticos, para além de fomentar o contato com as associações locais no âmbito da integração e acolhimento de migrantes em Portimão.

No dia 21 de junho foi a vez de Portimão ser cidade anfitriã da VII Reunião da Rede Portuguesa das Cidades Interculturais (RPCI) que reuniu 7 municípios parceiros de norte a sul do País (Portimão, Beja, Setúbal, Cascais, Amadora, Santa Maria da Feira e Braga) e 4 municípios convidados (Lagos, Albufeira, S. Brás de Alportel e Faro), para o debate e abordagem de várias questões ligadas às políticas de migração, com especial enfoque para o desenvolvimento de uma estratéfia anti-rumores a implementar durante este ano que seja eficaz na prevenção do racismo e descriminação e favoreça a convivência e a diversidade.

Da agenda do encontro, aberto pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal de Portimão, Castelão Rodrigues, fez parte a apresentação das medidas implementadas em Portimão sobre políticas de migração, por parte da Veredora com o pelouro da área social, Ana Fazenda; o tema “Interculturalidade no Algarve” apresentado por Zekri Mostafa ( Professor Associado no Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes); “A Mulher na Diáspora pelo Algarve: contributos no papel de empreendedora” por Eslsa Vieira (Coordenadora do Centro Local de Aprendizagem de Silves- serviço da Universidade Aberta, bem como uma sessão de trabalho sobre a “Estratégia Anti-rumores” com todos os presentes seguida da indicação dos próximos passos e avaliação do trabalho realizado por parte do coordenador da RPCI, André Carmo.
Portimão aderiu à Rede Portuguesa das Cidades Interculturais no passado dia 2 de março deste ano, juntando-se ao grupo de 99 cidades interculturais e às 5 redes nacionais que integram o programa do Conselho da Europa que procura dar resposta ao fenómeno da migração, abordando-o de uma forma positiva e demonstrando que a diversidade pode ser um trunfo para qualquer comunidade, se adequadamente gerido.

Ao integrar a Rede Portuguesa de Cidades Interculturais,. Portimão tem vindo a partilhar do conhecimento e experiência adquirida a nível europeu e a trocar experiências com restantes membros da rede a nível nacional com o propósito comum de “promover o desenvolvimento de políticas de integração de imigrantes e a gestão da diversidade e diálogo intercultural”.

Recorde-se que, numa perspectiva da promoção das políticas de consolidação dos migrantes residentes em Portimão, o município tem em execução o Plano Municipal para a Integração do Imigrante do qual fazem parte medidas que visam a plena integração desta população, nomeadamente nas áreas da solidariedade e respostas sociais, na saúde, na habitação, na educação e língua, na cultura, na cidadania e participação cívica.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *