Estremoz, Sociedade

Estremoz assinou contrato do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano

image008 (3)

Realizou-se no dia 31 de maio, em Santa Maria da Feira, a Sessão de Assinatura de Contratos dos PEDU – Planos Estratégicos de Desenvolvimento Urbano, que contou com a presença do senhor Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, e do senhor Ministro do Ambiente, João Pedro Matos.

No caso concreto do PEDU do Município de Estremoz, representado na cerimónia pelo Vice-Presidente, Francisco Ramos, está em causa um investimento público no montante total previsto de 5.888.412€, cofinanciados a 85% por fundos comunitários do Alentejo 2020.

O PEDU insere-se no âmbito do Regulamento do Plano Operacional de Sustentabilidade Energética e Uso dos Recursos (POSEUR) e tem um horizonte temporal de 2015 a 2020, sendo constituído por três linhas de ação: o PARU – Plano de Ação para a Regeneração Urbana, o PAMUS – Plano de Ação para a Mobilidade Urbana Sustentável e pelo PAICD – Plano de Ação para as Comunidades Desfavorecidas.

No âmbito do PARU, estão previstas diversas ações de reabilitação de edifícios, públicos e privados, bem como intervenções em espaço público. Neste caso particular, saliente-se a possibilidade dos particulares e das instituições públicas e privadas poderem concorrer a um fundo de investimento, que será criado após a aprovação do PEDU, podendo assim efetuar obras de recuperação de edifícios, localizados nas áreas de reabilitação urbana (ARU) de Estremoz, Evoramonte e Veiros.

No âmbito do PAMUS serão realizados investimentos na área da mobilidade urbana sustentável, focados especialmente no desenvolvimento de soluções que fomentem a adoção de modos suaves de mobilidade (pedonal, bicicleta, veículos movidos a energia elétrica, etc.).

No caso do PAICD, a área de intervenção é o Bairro de Santiago, uma vez que o mesmo reúne os critérios exigidos pelo POSEUR para ser considerado como comunidade desfavorecida, estando previstas diversas ações de reabilitação urbana e revitalização social, ambiental e económica do bairro.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *