Albergaria-a-Velha, Cultura

Festim traz Sextet à Claques, Tinariwen e Cheikh Lô a Albergaria-a-Velha

Cheikh Lo_SITE

Cheikh Lô, um dos expoentes máximos da música de fusão africana, vai atuar em Albergaria-a-Velha no âmbito do Festim – Festival Intermunicipal de Músicas do Mundo, que decorre nos meses de junho e julho. Antes do “mestre da Afro-Pop”, que dará um concerto no Cineteatro Alba a 15 de julho, Albergaria recebe a música festiva dos Sextet à Claques e o Blues do deserto do Sahara dos Tinariwen.
O cantor senegalês Cheikh Lô conta com um percurso musical de 40 anos e é uma referência na música moderna africana. Compositor, cantor, guitarrista e percussionista, é influenciado pelo Reggae e pelo Funk, que mistura com os sons dançáveis do Mbalax, estilo oriundo do Senegal e Gana. Já trabalhou com Papa Wemba, falecido recentemente, e Youssou N’Dour. O mais recente álbum, “Balbalou”, foi gravado na Suécia e produzido por Andreas Unge. O concerto no Cineteatro Alba, no dia 15 de julho, é às 22h00 e o preço dos bilhetes varia entre os quatro e os seis euros.

O Festim em Albergaria-a-Velha arranca com o Sextet à Claques, que atua no Festival Pão de Portugal, na noite de 11 de junho, com entrada livre. O grupo francês é considerado a coqueluche do movimento trad-folk europeu de danças tradicionais. As músicas combinam toques de Jazz, Barroco e até Rock, criando uma sonoridade singular, que convida o público a dançar. O grupo tem três discos editados, o mais recente, um registo ao vivo de 2013. O concerto com o Sextet à Claques é um dos momentos altos do Festival Pão de Portugal, que decorre na Quinta da Boavista/Torreão, entre 10 e 12 de junho. Para além de um espaço de mostra e venda de mais de 60 variedades de pão, o evento inclui sessões de showcooking, animação infantil e o 1.º festival de curtas-metragens, Do Pão.

Já no final do mês, a 30 de junho, os Tinariwen, descendentes dos povos nómadas do deserto do Sahara, abrem o programa de concertos do Albergaria conVIDA 2016. O grupo formou-se nos anos 80 do século passado, num campo Tuaregue na Líbia, para onde muitas famílias se tinham deslocado à procura de trabalho e de uma nova vida. No ambiente urbano, os músicos entraram em contacto com a música ocidental, nomeadamente o Rock de Jimi Hendrix e o Blues americano, e misturaram estas influências com os sons e a poesia Tuaregue. Com sete álbuns editados, os Tinariwen cantam o modo de vida no Sahara, as aventuras das tribos nómadas, as guerras e a beleza do deserto. Em 2011, venceram o prémio Grammy para melhor disco de Músicas do Mundo. Pelo palco do Albergaria conVIDA irão também passar os HMB (1 de julho), Áurea (2 de julho) e D.A.M.A (3 de julho). Todos os concertos são de entrada gratuita.

O Festim – Festival Intermunicipal de Músicas do Mundo é promovido pela d’Orfeu, em parceria com os municípios de Águeda, Albergaria-a-Velha, Estarreja, Oliveira do Bairro, Ovar e Sever do Vouga. Entre 9 de junho e 21 de julho o festival apresenta nomes de referência da World Music na região. Além de Sextet à Claque, Tinariwen e Cheikh Lô, estão agendados espetáculos de Tomás de Perrate (Espanha), Ibrahim Ferrer Jr. (Cuba), Trilok Gurtu Band (Índia) e Tito Paris (Cabo Verde).

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *