Mangualde, Sociedade

Autarquia homenageou mangualdenses que se destacaram pelo seu empreendedorismo

toponimia (1)

De forma a homenagear a carreira e a vida de importantes nomes mangualdenses, que se destacaram pelo seu empreendedorismo e atividade industrial, a Câmara Municipal de Mangualde inaugurou no dia 25 de abril, algumas placas de toponímia localizadas na Zona Industrial do Salgueiro. Este momento de recordação e de valorização contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, João Azevedo, do Presidente da União de Freguesias de Mangualde, Mesquitela e Cunha Alta, Bernardino Azevedo e de amigos e familiares dos homenageados. A iniciativa inseriu-se nas comemorações municipais do 25 de Abril.

 

RUA ANTÓNIO VENÂNCIO

Arruamento da Zona Industrial do Salgueiro, com início na Rua José Coelho dos Santos e terminus na curva de Stº António

A 2º Guerra Mundial levou à racionalização dos combustíveis. Neste contexto, António Venâncio montou uma espécie de fogão a lenha na traseira de um automóvel e, no aproveitamento dos gases da sua combustão, o automóvel movia-se e viajou pelo país. A esse invento deu o nome de Gasogénio. Com espírito empreendedor, montou uma oficina de bicicletas, ganhou dinheiro, e comprou terreno junto ao centro de Mangualde onde montou uma oficina de reparações de automóveis, local onde desenvolveu a sua contínua atividade. Tornou-se especialista na reparação de transportes de longo curso e fabricante de reboques para vários veículos pesados e agrícolas. A oficina foi uma autêntica escola de torneiros mecânicos. Foi ainda o maior empregador até à vinda da Citroen para o concelho, montou uma moagem mecânica de cereais, um lagar de azeite, era produtor de vinho, foi agente oficial de combustíveis e participou na instalação da Citroen em Mangualde.

 

RUA GILBERTO RIBEIRO DE LEMOS (GILINHO)

Arruamento da Zona Industrial do Salgueiro, com início na Rua José Coelho dos Santos e terminus sem saída

Figura baixa e magra, mas de uma inteligência notável. Empresário, dono de uma loja de eletricidade (a única em Mangualde durante vários anos), procedia à venda de produtos elétricos e fazia reparações em rádios e outros aparelhos, atividade onde era exímio. Pioneiro no radioamadorismo em Portugal, construiu o seu próprio equipamento de rádio em onda curta, numa altura em que a onda curta estava a ser desenvolvida apenas noutros países. Homem com uma cultura geral excecional participou no concurso de cultura geral da RPT ‘Quem sabe, sabe’, tendo ido à final.

 

RUA JOÃO FIGUEIREDO (MARTELO)

Arruamento da Zona Industrial do Salgueiro, com início na Rua José Coelho dos Santos e terminus sem saída

Inventor e empreendedor criou o Auto-Hipo. Numa altura de guerra, em que a escassez de bens e combustíveis se fazia sentir, nomeadamente em Portugal, para obstar a esta situação, inventou o Auto-Hipo. Consistia num veículo ao qual retirou o motor e aproveitou esse espaço para colocar uma plataforma para onde subia um cavalo. Nas subidas era o cavalo que, descendo da plataforma, puxava o carro, nas descidas o cavalo subia para a plataforma e descansava. O cavalo era o Carriço. Com o Auto-Hipo, João Figueiredo foi e veio a Lisboa para participar na 1ª Grande Exposição do Mundo Português, em 1940.

 

RUA MANUEL CARDOSO RAMOS (NENÉ)

Arruamento da Zona Industrial do Salgueiro, com início na Rua António Venâncio e terminus na Rua dos Emigrantes

Inovador e inventor, filho de Francisco Cardoso Ramos (Xico Ramos), cedo se notabilizou pela capacidade de empreendedorismo e de inovação. A ele se deve a construção das duas lanternas de iluminação de cada lado da fachada do Edifício dos Paços do Município, a cruz da Torre da Ermida da Senhora do Castelo. Orientou a obra de serralharia do Coreto da Vila de Mangualde (uma obra de arte) e construiu uma máquina de projeção de cinema, que utilizou no Salão de cinema que projetou e instalou no antigo Quartel dos Bombeiros de Mangualde. Construi um inovador Fogão Elétrico, da sua marca ”RAMOS”, cuja principal característica inovadora e revolucionária do ponto de vista tecnológico era a de o esmalte não cascar com aas elevadas temperaturas. Montou uma Máquina de fabricar gelo, vendido às barras, numa altura em que não existia o frigorífico. Político, Vereador na Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Mangualde, no ano de 1974 a 1976. Instalou o primeiro Parque Infantil do concelho de Mangualde, no Largo do Rossio, atrás da casa do Conceição. Fez as obras de restauro e conservação do interior e do retábulo da Capela do Rebelo.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *