Educação, Mação

18 alunos de todo mundo em Mação

image001 (4)

Mação acolhe, desde fevereiro, 18 alunos de um Mestrado Europeu do IPT, com universidades de França, Itália e Alemanha. Provêm de países como Canadá, Brasil, Algéria, Espanha, Rússia, Tailândia, Alemanha, África da Sul, México, Senegal, Sri Lanka, China e França. e vêm especializar-se em “Gestão de paisagens Culturais”.

O Mestrado Dyclam (Dynamics of cultural landscapes and heritage management) tem a duração de 2 anos, em regime de mobilidade de formação nos 4 países que o promovem. Durante os 5 meses em Mação os 18 alunos estão a ter formação em Gestão Integrada do Património, integrando o património e a arqueologia na economia e no desenvolvimento social, porque é essa uma das especialidades mais reconhecida internacionalmente, de entre as que o Instituto Terra e Memória (ITM) de Mação, com o Centro de Estudos Politécnicos de Mação (IPT), possui.

Nesta fase do Mestrado ao alunos têm aulas e fazem trabalhos, alguns dos quais aplicados a Mação e ao Médio tejo. Além dos professores afetos ao ITM e IPT, também vêm professores de fora, especialmente de Itália e da Alemanha.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Mação, Vasco Estrela “é particularmente interessante ver Mação acolher cidadãos de vários pontos do mundo que aqui vivem e estudam durante alguns meses. São jovens que convivem com os maçaenses, que se integram nas nossas atividades e o nosso dia-a-dia e que mexem também, de forma positiva, com a economia local. Ter em Mação alunos de ERASMUS parece algo distante mas que acontece efetivamente. ”

O ITM de Mação é um centro de investigação, inovação e desenvolvimento, criado pelo IPT com a Câmara Municipal de Mação e outras organizações, a que se associaram universidades estrangeiras. Faz hoje parte do Centro de Geociências da Universidade de Coimbra, e tem também uma extensão no Brasil. Orienta projetos em mais de dez países sendo especialmente conhecido em três campos: gestão do território (incluindo gestão patrimonial e de museus); arte rupestre e tecnologias da pré-história.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *