Cultura, Destaque, Póvoa de Lanhoso

“Camilo Castelo Branco e a Póvoa de Lanhoso” abre ciclo de conferências

CARTAZ_Ciclo Conferencias CIMF

No intuito de assinalar a passagem dos 170 anos da Revolução da Maria da Fonte, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, através do Centro Interpretativo Maria da Fonte (CIMF), preparou um ciclo de conferências, as quais, na maioria dos casos, serão acompanhadas por exposições paralelas e envolvendo alguns dos principais ou mais relevantes parceiros do CIMF.

Este Ciclo de Conferências, para além de evocar historicamente a passagem do 170.º aniversário da Revolução da Maria da Fonte, também denominada Revolução do Minho, propõe-se, conjuntamente com os jornais “Maria da Fonte” e “Correio do Minho” (que assinalam, respetivamente, 130 e 90 anos de existência em 2016), fazer transpor para a contemporaneidade um conjunto de temáticas relevantes consideradas “Ao tempo da Maria da Fonte” e que no nosso tempo renovam a sua pertinência.

“Estamos numa fase de instalação do Núcleo Documental do Centro Interpretativo Maria da Fonte. Esta iniciativa emana dessa vontade de transformar este espaço num ponto de excelência para o estudo e divulgação da nossa heroína. E este ciclo de conferências comemorativas dos 170 anos da revolução do Minho vai nessa linha de orientação”, afirma o Vereador para a Cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Armando Fernandes. “Espero que os povoenses adiram às iniciativas que, conjuntamente com os jornais “Maria da Fonte” e “Correio do Minho”, iremos promover até ao final do ano. Os povoenses que já visitaram o Centro Interpretativo Maria da Fonte saem de lá maravilhados. Espero que muitos outros encontrem disponibilidade para nos fazerem uma visita e fruírem da informação que temos disponível”, acrescenta.

Com periodicidade mensal, este ciclo inicia-se a 23 de abril com a temática “Camilo Castelo Branco e a Póvoa de Lanhoso”.

Camilo Castelo Branco dedicou, na sua obra, uma relevância significativa à Póvoa de Lanhoso. Para além de referências esporádicas ao topónimo desta terra em obras como Novelas do Minho, há pelo menos três romances do mestre de Ceide que têm este concelho como importante palco das suas tramas, nomeadamente O Demónio do Ouro (1873), A Brasileira de Prazins (1882) e Maria da Fonte (1885). Obras que se tornaram não apenas excelentes crónicas de costumes do tempo, mas, também, um espelho onde encontramos refletido o pensamento político do autor em determinada fase da vida.

 

A primeira destas iniciativas tem o seguinte programa:

23 de abril (sábado) | 17h00

Centro Interpretativo Maria da Fonte

Póvoa de Lanhoso

 

“Porquê Ler Camilo?”

Prof. Doutor Sérgio Guimarães de Sousa

Instituto de Letras e Ciências Humanas da Universidade do Minho / Casa de Camilo

 

“Camilo e a Herança de Londres: da realidade à ficção”

Dr. José Abílio Coelho

Centro Interpretativo Maria da Fonte

 

“Vida e Obra de Camilo”

Exposição Bibliográfica

CIMF / Centro de Estudos Camilianos

 

24 de Abril (domingo) | 10h00

“Nos Passos da Revolta”

Itinerário cultural pedestre

 

Parceiros: Centro Interpretativo Maria da Fonte | Jornais “O Correio do Minho” (1926-2016) e “Maria da Fonte” (1886-2016)

 

Apoios: Casa de Camilo | Centro de Estudos Camilianos | Junta de Freguesia de Fontarcada e Oliveira

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *