Cultura, Póvoa de Lanhoso, Sociedade

Santuário Rupestre de Garfe na Póvoa de Lanhoso em processo de classificação

????????????

Respondendo à solicitação do Município da Póvoa de Lanhoso, a Direção Regional de Cultura do Norte procedeu a nova abertura do procedimento de classificação do Santuário Rupestre de Garfe, com vista à proteção e enquadramento do monumento.

Os interessados em consultar, reclamar ou interpor recurso à proposta de classificação, devem consultar a página eletrónica da Direção Geral do Património Cultural.

“O interesse da Direção Regional de Cultura do Norte na classificação deste importante monumento é para nós motivo de satisfação. Este santuário rupestre é um dos poucos exemplares existentes no nosso país e facilmente se tornará num local de visitação e interesse histórico”, considera o Vereador para a Cultura e Turismo da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Armando Fernandes. “Vamos proceder à vedação do espaço envolvente que tem uma área superior a dois mil metros quadrados. Vamos, também, criar um acesso pedonal a este local que está situado no meio de uma quinta. O nosso objetivo é criar condições para o envolvimento da comunidade científica no estudo deste monumento. Já efetuámos contactos com duas universidades que demonstraram interesse em cooperar connosco”, adianta o mesmo responsável. 

De lembrar que a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso solicitou, em 1996, ao antigo IPPAR (Instituto Português do Património Arquitetónico) a classificação do Santuário Rupestre de Garfe como Imóvel de Interesse Público. Porém, este procedimento não teve qualquer sequência, pelo que, até à data, este monumento não tem qualquer classificação.

Após uma intervenção de limpeza da vegetação que cobria o monumento e área envolvente, em finais de 2015, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso voltou a solicitar à DRCN (Direção Regional de Cultura do Norte) uma nova apreciação de abertura de classificação do imóvel e respetiva área envolvente, pois representa um elevado valor arqueológico, que permitirá compreender as práticas pagãs no período pré-romano e romano do noroeste peninsular.

Assim, no âmbito do procedimento de classificação do Santuário Rupestre de Garfe, o prazo para apresentação de reclamação é até 5 de abril  de 2016; e o prazo para apresentação de recurso é a 27 de abril  de 2016.

Consultar aqui mais informação.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *