Cultura, Oliveira de Azeméis

Hermínio Loureiro lamenta que Ministério da Educação “ignore” o escritor Ferreira de Castro

IMG_0978O documentário sobre o escritor Ferreira de Castro e a sua casa-museu, produzido no âmbito do projeto “Escritores a Norte – Vidas com Obra em Casas d’Escritas”, é uma excelente oportunidade para que o escritor seja mais lido e reconhecido, defendeu o presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, Hermínio Loureiro.

O documentário relata os episódios mais importantes da vida e obra do escritor nascido a 24 de maio na freguesia de Ossela e foi apresentado em Oliveira de Azeméis no âmbito das comemorações dos 100 anos da vida literária de Ferreira de Castro que a vereadora da cultura, Gracinda Leal, espera “excederem as expectativas”.

Um projeto “feito de paixão” foi como o produtor Mário Augusto classificou a produção da película que exigiu várias horas de filmagens e testemunhos sobre o escritor. As imagens não editadas vão ser oferecidas à autarquia que irá trabalhá-las para, no futuro, poder disponibilizá-las à comunidade.

“Iremos aproveitar esses conteúdos para ajudar a valorizar a obra de Ferreira de Castro e torná-lo mais conhecido”, afirmou Hermínio Loureiro, assumindo que “o sentimento que ficamos depois de visionar o documentário é de um grande orgulho”.

“Levaremos o documentário a todos os agrupamentos escolares porque as escolas são importantes para potenciar Ferreira de Castro”, disse, lamentando que a sua obra não faça parte dos programas curriculares do Ministério da Educação.

“O filme é um momento inesquecível que vai marcar todas as pessoas que o virem pois não ficarão indiferentes à vida e à obra do autor do livro ‘A Selva’”, concluiu.

O jornalista e produtor Mário Augusto considera uma injustiça “que o escritor de Oliveira de Azeméis não faça parte do Plano Nacional de Leitura” e não seja “de leitura obrigatória nas escolas”.

“O escritor Ferreira de Castro, ao contrário de outros, é de fácil leitura e tem uma escrita pictográfica fazendo o leitor sentir-se próximo das personagens”, afirmou.

O documentário sobre Ferreira de Castro terá projeção internacional estando prevista para breve a sua exibição nos canais da RTP2, RTP3 e RTP Internacional.

O projeto “Escritores a Norte”, da responsabilidade da Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN), envolve além de Ferreira de Castro os escritores Aquilino Ribeiro, Camilo Castelo Branco, Domingos Monteiro, Eça de Queiroz, Graça Pina de Morais, Guerra Junqueiro, José Régio, Lisa Pina de Morais, Mário Cesariny, Miguel Torga e Pina de Morais.

Para o diretor regional de Cultura do Norte, António Ponte, “são figuras maiores da literatura portuguesa que podem ser importantes na oferta turística de cada município”.

“O projeto da DRCN é pioneiro permitindo criar condições para o turismo literário e dinâmicas locais nos municípios mas seria interessante que este programa pudesse ser replicado por outras regiões do país”.

Segundo António Ponte, o projeto já despertou o interesse da região da Galiza que “já nos solicitou para aplicar o programa da DRCN naquela região espanhola”.

O projeto transnacional permitirá divulgar os autores portugueses na Galiza e, em contrapartida, dar a conhecer aos portugueses os principais escritores galegos.

Além dos documentários, o projeto de turismo literário “Escritores a Norte” inclui ainda uma antologia em quatro línguas e um portal online dedicado às nove casas envolvidas onde está alojada toda a informação sobre a cada um dos espaços memória, aos escritores e ao património cultural inerente a cada um deles.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *