Reguengos de Monsaraz, Sociedade

Ramos-Horta visitou o concelho de Reguengos de Monsaraz e expressou vontade de viver na região

CARMIM (1)José Ramos-Horta, Prémio Nobel da Paz e antigo Presidente (2007 a 2012) e Primeiro-ministro (2006-2007) de Timor-Leste, visitou o concelho de Reguengos de Monsaraz. Na sequência do convite da Universidade de Évora para participar numa conferência sobre cooperação e desenvolvimento sustentável, em que discursou sobre “Cooperação: Liberdade, Justiça e Paz no Mundo”,Ramos-Horta manifestou de imediato a vontade de voltar à vila medieval de Monsaraz, que conheceu há cerca de duas décadas, pois “tinha ficado encantado com esta região, em particular com Monsaraz”.

O Nobel da Paz foi recebido no Salão Nobre dos Paços do Concelho por José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, onde assistiu aos vídeos promocionais da Cidade Europeia do Vinho 2015 e da Reserva Dark Sky Alqueva, produzido pelo astrofotógrafo Miguel Claro. Ramos-Horta assinou também o Livro de Honra do Município, onde escreveu “simplesmente uma maravilha, um verdadeiro encanto esta terra de Reguengos de Monsaraz”.

Nesta cerimónia de boas-vindas disse ainda que quando conheceu a vila medieval “tinha ficado com vontade de regressar e passar alguns dias em Monsaraz” e expressou que “um dia gostaria de viver nesta região”. José Calixto afirmou que “é uma grande honra receber uma personalidade mundial como José Ramos-Horta pois a sua vida é um exemplo impar de dignidade, de diplomacia, de defesa dos direitos humanos e de luta por um ideal”.

O Presidente da CARMIM, Miguel Feijão, recebeu o Nobel da Paz e acompanhou-o numa visita às instalações, onde ficou a conhecer todo o processo de produção do vinho. No enoturismo degustou o vinho produzido na CARMIM e manifestou interesse que a empresa exporte para Timor-Leste.

De seguida foi conhecer o Centro Oleiro de S. Pedro do Corval, o maior do país com 22 olarias em atividade. No centro oleiro visitou a Olaria Egídio Santos e a Casa do Barro – Centro Interpretativo da Olaria.

Na vila medieval de Monsaraz, Ramos-Horta foi ao Museu do Fresco, à Igreja Matriz de Nossa Senhora da Lagoa, à Igreja da Misericórdia e à Igreja de Santiago – Galeria de Arte. Durante o jantar, o Nobel da Paz foi presenteado com a atuação do Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz, juntou-se ao grupo de cante alentejano e filmou várias modas para recordar a sua passagem pelo concelho de Reguengos de Monsaraz.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *