Cultura, Torres Vedras

Café com Filmes prossegue no Teatro-Cine de Torres Vedras

O Grande DitadorO ciclo Café com Filmes, promovido pela Câmara Municipal de Torres Vedras em parceria com o Académico de Torres Vedras, no Teatro-Cine de Torres Vedras, vai prosseguir.

Os próximos filmes a serem exibidos no âmbito deste ciclo são os seguintes:

 

14/1 | 21h30 | “O Tempo e as Bruxas”, de António Victorino D’Almeida (Portugal, 2012)

Sinopse: ”A história de uma família que vive numa pequena terra de província – pessoas que sofrem de muitas maneiras com o facto de não terem uma verdadeira história para contar, para evocar ou mesmo apenas para relembrar. Para escapar à banalidade que os sufoca, essas personagens chegam a criar um mundo absurdo de suspeições e de acusações nunca verdadeiramente comprovadas. “O Tempo e as Bruxas” tenta utilizar em diversas situações a linguagem verbal e também simbólica do chamado teatro do absurdo – desde Samuel Beckett a Ionesco ou até mesmo Tardieu”.

A exibição deste filme insere-se no ciclo de homenagem a António Victorino D’Almeida, estando previsto no final da mesma uma conversa com elementos da equipa que produziu esta película.

 

28/1 | 21h30 |A Quietude da Água”, de Naomi Kawase (Japão, 2014)

Sinopse: “ Na ilha de Amami, os habitantes vivem em harmonia com a natureza, pensam que um deus habita em cada árvore, cada pedra e cada planta. Numa noite de verão, Kaito descobre o corpo de um homem no mar e a amiga Kyoko vai ajudá-lo a desvendar este mistério. Juntos, aprendem a ser adultos e descobrem os ciclos da vida, da morte e do amor…“.

18/2 | 21h30 | “Táxi”, de Jafar Panahi (Irão, 2015)

Sinopse: ” Um táxi circula pelas ruas coloridas e vibrantes de Teerão. Vários passageiros entram no táxi e vão falando ingenuamente sobre as suas opiniões com o taxista, que é o próprio realizador Jafar Panahi. A câmara colocada no seu estúdio móvel permite capturar o espírito da sociedade iraniana através desta viagem divertida e dramática”.

Este filme recebeu o Urso de Ouro de Melhor Filme no Festival de Berlim de 2015 e o Prémio Fipresci (atribuído pela Federação Internacional de Críticos de Cinema).

10/3 | 21h30 | “O Grande Ditador”, de Charlie Chaplin (Estados Unidos da América, 1940)

Sinopse: “Chaplin interpreta duas personagens: Adenoid Hynkel, o ditador da Tomania, e um barbeiro judeu. O filme, rodado em segredo no final dos anos 30, estreou na América em 1940, em plena II Guerra Mundial. Uma sátira burlesca de Charles Chaplin a Hitler e ao nacional-socialismo, apesar de Chaplin ter acabado por declarar que se, na altura da rodagem, tivesse ideia da verdadeira extensão das atrocidades nazis “nunca poderia ter gozado com tal insanidade homicida”. Este filme venceu o Festival Internacional de San Sebastian de 1973.

17/3 | 21h30 | “Shun Li e o Poeta”, de Andrea Segre (Itália, 2011)

Sinopse: “Shun Li trabalha num laboratório de tecidos na periferia de Roma para conseguir os documentos necessários e poder mandar vir o seu filho de oito anos para Itália. De repente, é obrigada a mudar-se para Chioggia, uma pequena vila-ilha da lagoa de Veneza, onde passa a trabalhar como empregada num pequeno restaurante. Bepi, pescador de origem eslava, chamado pelos amigos de “o poeta”, é cliente desta pequena tasca há anos. O encontro entre Shun Li e Bepi representa uma fuga à solidão, um silencioso diálogo entre diferentes culturas e uma viagem ao coração e às profundezas da lagoa que é mãe e berço de diferentes identidades sempre em mudança”.

Este filme obteve na Festa do Cinema Italiano de 2013 os prémios de melhor filme e do público.

31/3 | 21h30 | “Vocês Ainda Não Viram Nada”, de Alain Resnais (França/Alemanha, 2012)

Sinopse: “Antoine d’Anthac, célebre dramaturgo, convoca, depois da sua morte, todos os seus amigos que interpretaram a peça “Euridíce”. Estes atores têm como missão ver uma encenação desta obra por um novo grupo, a Compagnie de la Colombe. O amor, a vida, a morte, o amor depois da morte ainda têm lugar num palco? São eles que têm de decidir. Mas as surpresas ainda agora começaram. A propósito do Dia Mundial do Teatro (27 de março), oportunidade para ver um dos últimos filmes realizados por Alain Resnais antes de nos deixar”.

 

O ciclo Café com Filmes parte da tradição de Torres Vedras na área do cinema, nomeadamente de um passado cineclubista. É objetivo da iniciativa dinamizar um conjunto de atividades à volta do mundo do cinema e vídeo, sobretudo mediante a exibição de filmes que contribuam para a formação de olhares sobre o mundo e a sociedade, para a descodificação da linguagem e para a formação de novos públicos.

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *