S. João da Madeira, Tecnologia

Feira da Ciência regressa em 10.ª edição a S. João da Madeira

C6DU3383Já é uma tradição da cidade e as escolas já não dispensam: vem aí mais uma edição da “Feira da Ciência”, em 2016 assinalando a 10.ª edição. Esta é uma organização do projeto ‘Pequenos Cientistas Sanjoanenses’ da Câmara Municipal de S. João da Madeira, sendo resultado do sucesso que o programa tem tido junto das escolas do 1.º ciclo e jardins-de-infância do concelho. Cerca de 2000 crianças participarão no evento, através das respetivas turmas, podendo assim interagir em diferentes experiências divertidas e pedagógicas.

Esta exposição interativa está marcada para o Museu da Chapelaria, de 11 a 22 de janeiro. As famílias poderão também participar no sábado, dia 16, das 14.00 às 17.00 horas.

E por se tratar da 10.ª edição, a feira será dedicada aos 10 anos de existência do projeto Pequenos Cientistas Sanjoanenses que, como se sabe, é um complemento da área curricular disciplinar do Estudo do Meio. Deste modo, é seu objetivo principal desenvolver programas eeguducativos e de entretenimento em vários campos do conhecimento científico, tecnológico e social para que os alunos compreendam, progressivamente, que existem assuntos, metodologias, técnicas e formas de pensar mais associados ao caráter investigativo.

As atividades propostas são revestidas de caráter prático e experimental, ajudam o aluno a compreender e a interiorizar os conceitos trabalhados ao longo do ano letivo, proporcionando aos alunos a oportunidade de desenvolverem saberes e competências que lhes permitam tomar decisões e agir de forma sensível aos assuntos ambientais e cidadania ativa. O programa é desenvolvido por professores das áreas da Biologia, Geologia, Ciências da Natureza, Física e Química, contratados pela Câmara Municipal de S. João da Madeira, presentes diariamente nas diversas escolas do concelho sanjoanense.

“O programa Pequenos Cientistas Sanjoanenses é um programa pioneiro e inovador que levamos a cabo de forma rlar e permanente há já 10 anos”, afirma Ricardo Oliveira Figueiredo. “Com este projeto transmite-se aos jovens o gosto pelas ciências, e isso é algo muito importante quer para o seu sucesso futuro como estudantes, quer para despertar nestes jovens o interesse pelas ciências e engenharias, áreas com forte empregabilidade”. E conclui: “Por conseguinte, não surpreende que as avaliações que anualmente são feitas pelas escolas demonstrem que é um programa de grande valia pedagógica e de elevado potencial estratégico para a comunidade educativa e para os alunos”.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *