Cultura, Póvoa de Lanhoso

Castelo de Lanhoso acolhe o “Concerto ainda mais pequeno do mundo”

Castelo de LanhosoO Núcleo Museológico do Castelo de Lanhoso será palco, no próximo dia 20 de novembro, pelas 22h00, do “Concerto ainda mais pequeno do mundo”.

Cimentando a estratégia que tem vindo a desenvolver para este espaço cultural, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso está a preparar um espetáculo intimista e acolhedor, proporcionado pelas condições que o renovado Núcleo Museológico do Castelo de Lanhoso dispõe. Esta oportunidade servirá para projetar os talentos Povoenses, para consciencializar para a preservação da nossa memória coletiva e relevar a importância dos nossos recursos endógenos, que foram marcantes e distintivos.

“Trata-se de um evento que pretende projetar o mais bonito e emblemático castelo do país. Estou certo de que as pessoas que conseguirem fazer a sua reserva, porque é muito limitada, irão gostar da experiência”, refere o Vereador para a Cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Armando Fernandes, acrescentando que será também uma oportunidade “para divulgar o nosso projeto de criação da Rede de Museus e Monumentos da Póvoa de Lanhoso, rede essa que visa enaltecer as unidades que a integram, como caminho para a sua valorização, promoção, divulgação e captação de públicos”.

Um dos pisos do Núcleo Museológico transformar-se-á, para o efeito, numa sala de espetáculos improvisada, em que a proximidade entre os artistas, público e a envolvência do espaço museológico será uma marca deste evento, tornando-o distintivo, aconchegante e contagiante. A entrada é livre, mediante marcação prévia e limitada a 15 pessoas.

Assumindo-se como o elemento diferenciador, não só pela história e forma como se afirma na paisagem, mas pelos sentidos que desperta a quem o visita, o Castelo de Lanhoso é considerado um marco importante no processo da reconquista e consolidação das fronteiras do Condado Portucalense que, posteriormente, originou o reino de Portugal.

Cabe, por isso, a todos os recetores deste importante legado cultural e patrimonial projetar, ainda mais, o Castelo de Lanhoso, que foi outrora palco de inúmeras batalhas e acontecimentos históricos no panorama nacional, e consolidar a promoção e divulgação deste ex libris, evocando as nossas raízes culturais.

Para fazer parte deste evento, e entrar na história do Castelo de Lanhoso, devem efetuar a reserva com o nome completo através de castelo.lanhoso@mun-planhoso.pt.

 

“Banda” criada de propósito

Formada expressamente para este evento, a “banda musical” que irá animar esta noite é composta por Júlio Freitas (baterista), Toni Oliveira (baixista), Filipe Martinho (teclista) e Joana Magalhães (vocalista/guitarrista).

Júlio Freitas

Nasceu a 9 de março de 1957 na freguesia de Calvos, Póvoa de Lanhoso. No que diz respeito à música, refere sentir interesse/paixão pela mesma desde que se lembra, começando como aprendiz na Banda Musical de Calvos. No entanto, não chegou a integrar a mesma por não se identificar, na altura, com o estilo musical ali desempenhado.

Cumpriu serviço militar e, após conclusão do mesmo, integrou o grupo musical “Ritmo”, que, na altura, dava os seus primeiros passos. Cresceu muito como músico (baterista) no seio deste grupo, ao qual pertence até aos dias atuais.

 

Toni Oliveira

Nasceu a 14 de junho de 1966 em Castelo de Paiva, distrito de Aveiro. Estudou design gráfico e música, frequentando a Escola de Jazz do Porto e a Academia Vilar de Paraíso. Com apenas 17 anos enveredou pela carreira de músico.

Desempenhou, ao longo da sua carreira musical, inúmeras funções, passando estas por ser freelancer de alguns grupos musicais e realizando acompanhamento de artistas/bandas como os Santamaria, Mickael Carreira, de entre outros. Neste momento, desempenha a função de músico e professor na Academia de Música Manus, localizada na Póvoa de Lanhoso.

 

Filipe Martinho

Nasceu a 17 de dezembro de 1977 na paróquia de Nossa Senhora do Amparo, Póvoa de Lanhoso. Quando tinha 17 anos, estando a Escola de Música Mozart a dar os primeiros passos na Póvoa de Lanhoso, iniciou a sua aprendizagem musical, escolhendo o teclado como instrumento musical a explorar.

Mais tarde, tendo já realizada a sua formação musical ao nível do teclado, foi um dos fundadores do grupo musical Attitude e, durante oito anos, em conjunto com os restantes membros deste grupo, acompanhou um artista (Teixeira Pinto) durante os seus concertos. Hoje em dia, a nível profissional, é construtor civil e professor na Academia de Música Manus.

 

Joana Magalhães

Nasceu a 30 de maio de 1990, em Braga. A nível musical, tem formação básica ao nível do piano e toca guitarra desde os seus nove anos de idade. Desde que se lembra, a música é parte fundamental da sua vida tendo, por isso, ao longo dos anos, participado em alguns projetos musicais. Viveu em Taíde nos primeiros anos da sua vida, onde também frequentou o ensino pré-escolar e básico. Já em Leiria, estudou, durante quatro anos, Terapia Ocupacional, área na qual se licenciou.

Hoje em dia, na área da música, é animadora do Grupo de Jovens de Calvos e realiza, pontualmente, alguns “concertos” acústicos na sua área de residência. A nível profissional, desempenha funções como Terapeuta Ocupacional em Braga, na AIA – Associação para a Inclusão e Apoio ao Autista.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *