Monchique, Turismo

Monchique organiza Festival do Medronho

FESTIVAL DO MEDRONHOOs aromas, cores e texturas, mas sobretudo as potencialidades do Medronho, vão atrair ao concelho de Monchique todos os apreciadores deste que é também conhecido como o “ouro líquido da serra”, no maior festival dedicado a este fruto realizado em Portugal.

Promovido pela Câmara Municipal de Monchique, em parceria com a Associação de Produtores de Aguardente de Medronho (APAGARBE), a Confraria do Medronho e com a colaboração de várias entidades, o Festival do Medronho de Monchique vai decorrer entre os dias 20 e 22 deste mês, no Heliporto Municipal, num espaço concebido propositadamente para este evento.

“Este certame surge num momento muito importante da afirmação do Medronho de Monchique e por isso, reunimos a nata dos especialistas e estudiosos deste assunto, assim como os produtores e demais interessados na sua produção e comercialização, mostrando que Monchique é, indiscutivelmente, o local onde se produz a melhor aguardente de medronho do mundo e por isso a Câmara Municipal tem apostado na criação de condições para que o mesmo seja também e cada vez mais um fator de desenvolvimento económico do concelho”, afirma Rui André, Presidente da Câmara Municipal.

Apesar de já se terem realizado duas edições do Festival do Medronho, o mesmo decorria em simultâneo com a tradicional Feira do Presunto, assumindo este ano, a autonomia e identidade de um evento somente dedicado única e exclusivamente a este produto e em moldes completamente diferentes do habitual. Não será uma simples feira, mas sim um evento que reúne ideias, projetos e histórias à volta do medronho e que se espera, possam deliciar todos aqueles que decidam subir à serra neste fim-de-semana.

Refira-se que o concelho de Monchique é conhecido e reconhecido pela produção de Aguardente de Medronho há muitas décadas, assumindo presentemente um papel liderante na sua produção, registando 80 destilarias de medronho legalizadas no território do seu concelho e cerca de 50 marcas desta afamada aguardente engarrafada. A prova de que este é um produto diferenciador e muito procurado está bem patente na dinâmica que o mesmo regista, originando o surgimento de outros produtos derivados, com destaque para a igualmente famosa Melosa, assim como vários projetos e iniciativas em volta do saber-fazer secular tão característico deste concelho serrano. O sucesso da “Loja do Mel e do Medronho”, assim como a recentemente inaugurada “Casa do Medronho de Marmelete” são exemplos daquilo que este produto pode originar e que a organização deste certame quer ver replicados.

Para Rui André, “A fabricação de produtos tradicionais constitui para o concelho de Monchique uma mais-valia pela riqueza do saber-fazer a eles associado, que desta forma se perpetua no tempo. As atividades que outrora eram realizadas em contexto familiar como a matança do porco ou outras ações de aproveitamento do que a terra dá para o sustento das famílias do concelho, hoje são valorizadas também do ponto de vista económico, pela sua capacidade de gerar desenvolvimento social e também criar riqueza e trabalho para as populações locais. Temos também o grande desafio de potenciar do ponto de vista turístico estes produtos, uma vez que, cada vez mais, o turista procura a autenticidade e genuinidade tão presentes na produção, história e estórias associadas a estas atividades”.

 

O FESTIVAL

Este Festival do Medronho vai contar com a participação dos produtores locais e de muitos convidados que durante os três dias do evento vão mostrar as múltiplas utilizações deste fruto e a sua importância para a gastronomia e até para a saúde, já que estarão presentes os autores do estudo da Universidade de Aveiro que destaca a inclusão deste fruto numa dieta saudável.

Além de proporcionar um importante e necessário contacto entre os produtores e os potenciais distribuidores deste produto, uma vez que estão confirmadas as presenças de distribuidores, hoteleiros e representantes das entidades ligadas à restauração, está preparado pela organização um verdadeiro “banquete” de iniciativas que irão despertar o interesse de todos, quer dos próprios produtores, quer dos visitantes para os quais estão programadas iniciativas constantes e de forma ininterrupta durante todo o evento, pretendendo enaltecer um dos mais conhecidos e apreciados produtos deste concelho serrano, mas também gerar interação, pontos de discussão, partilha e troca de conhecimentos, conversas informais e proporcionar contatos entre os produtores de medronho e entidades e empresas diversas, assumido que o mesmo é fulcral para gerar uma dinâmica em torno do produto, promovendo o seu crescente potencial de valorização e implantação no mercado.

Do vasto programa deste certame, constam, para além da exposição e venda do produto que dá nome ao mesmo, assim como os seus derivados, uma programação “paralela” com atividades direcionadas para o público em geral, tais como showcookings; concurso de cocktails; degustações; exposições e apresentações diversas, assim como reuniões comerciais; de promoção e divulgação; debates de esclarecimento e intervenções de entidades diversas e especialistas na matéria. Marcarão presença os principais atores num relacionamento que se quer potenciar, desde garrafeiras, distribuidoras, universidades, associações e entidades do setor, empresas especialistas em marca e comunicação, associações de hotelaria, restauração e similares, produtores e demais interessados.

A inauguração do Festival está marcada para as 18h30, altura em que será encerrado o Congresso, e conta com um medronho de honra, animado pela atuação do Grupo de Cantares da Confraria do Medronho de Monchique, e com uma mostra de degustação pela Confeitaria “Mestre Cacau”.

O Festival estará organizado por espaços. A “Multibox”  recebe o Congresso, no dia 20, e nos dias 21 e 22 acolhe intervenções diversas como a apresentação do estudo feito pela Universidade de Aveiro, que conta com a participação da Dr.ª Sílvia Rocha que irá abordar a inclusão do medronho numa dieta saudável; recebe reuniões comerciais e de promoção entre os produtores e garrafeiras, distribuidores, associações e entidades diversas; recebe as apresentações e conferências, assim como a competição de Flair Bartending.

No “Espaço Sabores” o visitante poderá assistir a diversos momentos de showcooking dinamizados pela Associação de Cozinheiros e Pasteleiros do Algarve e apreciar mostras e degustações de doçaria, compotas e licores de medronho e momentos de apresentação de doçaria tradicional reinventada pelas pastelarias locais, tendo sempre o medronho presente nas propostas apresentadas.

Para além do vasto programa de ações, irá ainda decorrer:

– Exposição de todas as marcas de Aguardente de Medronho engarrafadas em Monchique desde os anos 40 até hoje;

– Exposição e venda de Aguardente e Melosa pelos produtores em espaços individuais próprios;

– Exposição de desenhos sobre as “destilas” pela Urban Sketchers;

– Concurso da Melhor garrafa e melhor rótulo;

– Exibição do documentário sobre a produção de Aguardente de Medronho – Casa do Medronho de Marmelete;

– Exibição do programa de Culinária com Medronhos pelo Chefe Henrique Sá Pessoa;

– Demonstração do processo de destilação com alambique ao vivo;

– Exposição do País convidado – Cabo Verde;

– Venda de Medronheiros;

– Caminhada/Rota das Destilas de Monchique;

– Mostra Gastronómica do Medronho nos Restaurantes Aderentes.

 

CONVIDADO INTERNACIONAL

Anualmente será convidado um país ou local onde se produza Aguardente por destilação, visando a troca de experiências em torno da produção e comercialização, potenciando assim o desenvolvimento de novas metodologias e melhorias aos mais variados níveis. Na presente edição, o País convidado é Cabo Verde que será representado por Sto. Antão, com a apresentação do seu famoso Grogue, uma aguardente de cana-de-açúcar, assim como a Ponche, uma espécie de melosa com a utilização de mel. Ainda por confirmar, a presença da Confraria do Grogue de Cabo Verde.

 

CONGRESSO – “MEDRONHO – UM PRODUTO DE EXCELÊNCIA”

Espécie típica do nosso país, o medronheiro apresenta um crescente interesse para diversos fins. Atualmente é visto como uma alternativa económica um pouco por todo o país, assumindo a sul uma expressão crescente, com o aumento da sua produção e número de produtores, muitos dos quais jovens que apostam aqui o seu futuro.
As caraterísticas do território e dos recursos existentes originam produtos de qualidade invulgar com uma clara valorização do mercado e dinamização económica do território.
Com o intuito de dar a conhecer as potencialidades do medronheiro, a realidade da cultura do medronho e promover o aproveitamento enquanto fruto e as suas diferentes aplicações, decidiu a Câmara Municipal organizar, integrado no Festival, no dia 20, sexta-feira, o Congresso «Medronho – um produto de excelência» que marca assim o arranque deste certame.

Este Congresso, reúne assim diversas entidades e especialistas conceituados que pelo seu conhecimento científico e tecnológico, irão contribuir para a projeção do medronho nas suas múltiplas vertentes, fazendo deste um momento crucial de discussão e reflexão onde se valoriza o passado deste produto mas sobretudo se projeta o seu futuro.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *