Cultura, Seia

O Tempo e as Distâncias em debate na 18ª edição das Jornadas Históricas, em Seia

42770aa1de64ddfe6105cdd213adfa9d_L“O Tempo e as Distâncias: tudo tão perto, tudo tão longe” é o tema central da 18ª edição das Jornadas Históricas, que se realiza em Seia, no auditório da Casa Municipal da Cultura, de 12 a 14 de novembro.

A edição de 2015 irá debater, de uma forma abrangente, as formas de apropriação do espaço e os modos de utilização do tempo, que são múltiplos e coexistentes, e as suas variâncias em torno das sociedades e dos diferentes grupos sociais.

Contando com um painel de conferencistas de reconhecido mérito científico e académico, esta formação procurará explanar como a relação entre os indivíduos, o espaço e o tempo pode ser lida como expressão das relações de poder e dos códigos sociais de cada época, sabendo-se que as novas necessidades (culturais, políticas, económicas ou sociais) são acompanhadas pela criação de novas espacialidades e temporalidades, as quais, por seu turno, modelam as ações e os pensamentos.

Abordagens a alguns usos do tempo e do espaço, bem como as transformações ocorridas, num período de mudança: a queda do muro de Berlim, a patrimonialização de velhas muralhas e fronteiras, movimentos de integração como a Europa Schengen, o desenvolvimento dos transportes, o encurtamento de algumas distâncias-tempo e custo, assim como um certo deslumbramento perante a velocidade e a conetividade trazidas pelas novas tecnologias de informação e comunicação serão outras das ideias apresentadas nesta edição, que sugerem a existência de um mundo plano e fluido, no qual os obstáculos pertencem ao passado, um mundo agora sem rugosidades nem fragmentações.

Do programa constam, ainda, a apresentação do livro “Tempo e história. Ideias e Políticas. Estudos para Fernando Catroga”, a cargo da professora Doutora Ana Cristina Araújo, que irá ter lugar no auditório da Casa da Cultura, no dia 13 de novembro, pelas 14h30. Neste mesmo dia, pelas 21h30, sobe ao palco do Cineteatro da Casa da Cultura a peça “O meu país é o que o mar não quer”, uma produção da Casa da Esquina.

Paralelamente, estará patente nas Galerias da Casa da Cultura, de 10 a 30 de novembro, a exposição “O tempo e as distâncias”, tendo por base o espólio das Estações de Caminho-de-ferro, desde o séc. XIX até à 1.ª metade do século XX, do Museu Ferroviário do Entroncamento e coleções de particulares (Exposição Fotográfica “Cavalos de Ferro” de António Lopes Lisboa; Cartas de Afonso Costa para a sua mulher, de Rui Veloso; Os comboios do séc. XIX, de João Fernandes; Evolução das Telecomunicações, de Filipe Fontes).

As Jornadas Históricas são promovidas pelo Município de Seia, através do Arquivo Municipal, e coordenadas, à semelhança das edições anteriores, por Fernando Catroga, professor catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

A participação nesta formação equivale a 1 crédito, acreditação do Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua, aplicável a educadores de infância e docentes do ensino básico e secundário.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *