Mação, Sociedade

Universidade Sénior arranca a 2 de novembro em Mação

universidade9Mação já tem uma Universidade Sénior. A Sessão de Lançamento realizou-se ontem, 26 de outubro, no Auditório do Centro Cultural Elvino Pereira. As aulas começam no dia 2 de novembro.

Nesta cerimónia foram apresentados os professores e as disciplinas, assim como os alunos inscritos, tendo-se procedido à assinatura do compromisso de voluntariado dos professores com o Banco Local de Voluntariado e à entrega de pastas aos alunos.

Estiveram presentes Vasco Estrela, Presidente da Câmara Municipal de Mação (entidade promotora da Universidade Sénior de Mação); Tiago Leite, Diretor do Centro Distrital da Segurança Social; e Luís Jacob, Presidente da Direção da Rutis (Associação Rede de Universidades da Terceira Idade).

“Este dia marca o culminar de algo que tem acontecido nos últimos anos no Concelho de Mação”, afirmou Vasco Estrela. “É conhecido o trabalho feito junto dos seniores, quer pela Câmara Municipal, quer pelas Juntas, mas principalmente pelas IPSS, merecedoras de respeito e gratidão. A Universidade Sénior nasceu na sequência de todo este trabalho e pela “preocupação que a Câmara Municipal de Mação tem para que as pessoas possam aceder às oportunidades que concedemos. Resulta do Clube Sénior e será uma mais-valia para todos aqueles que dela quiserem usufruir, que permitirá capacitar alunos e uma interação com outras Universidades Seniores. Não vem substituir nada nem ninguém, mas sim complementar” tudo aquilo que já se faz junto do público sénior.“Destina-se às pessoas que sentem vitalidade para desenvolverem as suas competências, pelo que faço votos que possam aproveitar esta oportunidade, que deem por bem empregue o vosso tempo e o convívio entre todos. É um sinal de vitalidade e de que querem continuar a aprender. Sinal de que estão vivos e felizes. E nós existimos para que as pessoas possam ser felizes”.

A Universidade Sénior de Mação contou também com o incentivo do Diretor do Centro Distrital da Segurança Social que, conhecedor da realidade do distrito de Santarém, em que neste momento apenas um Município não tem destas Universidades, dizia que Mação tinha todas as condições reunidas para que tal se concretizasse. Para Tiago Leite, “a sociedade deu uma volta tão grande que já não há respeito por quem cá anda há mais tempo e estas Universidades são o devolver de todo o respeito e consideração que merecem. Tenho passado por todas as Universidades Seniores e sinto diferença no olhar das pessoas, porque estavam em casa esquecidas, com o sentimento de que já não eram úteis. E estas Universidades têm a capacidade de lhes mostrar um sentimento de utilidade”.

Já Luís Jacob, da Rutis, traçou um pouco do funcionamento de uma Universidade Sénior, afirmando que não há testes nem exames como nas universidades tradicionais. “As pessoas vão partilhar aquilo que aprenderam ao longo da vida. Não vão apenas para aprender, vão também partilhar”, apostando no “conhecimento universal e aberto para todos. Há pessoas que são alunas numa disciplina e professoras noutra”.

Nesta ocasião, alguns professores dirigiram também algumas palavras aos alunos, explicando a sua motivação e experiência de vida.

A cerimónia encerrou com um bolo comemorativo.

Refira-se que a Universidade Sénior de Mação conta já com 50 alunos inscritos e cerca de 20 professores, na sua maioria de Mação e/ou com ligações ao Concelho. Para além dos voluntários tem também alguns professores provenientes de serviços/entidades parceiras: Biblioteca Municipal, Museu de Arte Pré-Histórica e do Sagrado do Vale do Tejo, Escola de Pintura Lápis de Cor, Piscinas Municipais Cobertas, Academia de Cooperação e Cultura e Centro de Saúde.

Para além das disciplinas do Clube Sénior – Música, Ginástica  e Estimulação Cognitiva (“Ginástica Mental”)–, em que todos os inscritos da Universidade Sénior poderão participar nos 14 polos (Aboboreira, Aldeia de Eiras, Amêndoa, Cardigos, Carvoeiro, Chão de Lopes, Chaveira, Envendos, Mação, Ortiga, Penhascoso, Queixoperra, Rosmaninhal, São José das Matas), de forma gratuita – a Universidade Sénior terá as seguintes disciplinas: Português; Inglês; História das Religiões; História Local e Regional; Sociologia; Escrita Criativa; Sociedade e Cidadania; Gestão e Motivação Pessoal; Saúde e Bem-Estar; Informática; Cultura e Cooperação (variante de Teatro); Património, Saberes, Memória & Futuro; Atelier de Manualidades; Atelier de Expressão Criativa; e ainda diversos workshops como Energia e Sistemas, Desporto e Prática Desportiva.

Estas disciplinas e workshops encontram-se disponíveis para os alunos da Universidade Sénior mediante o pagamento anual de 12€ de propina e de 5.90€ de seguro escolar. Estes alunos têm ainda acesso a convívios, passeios, visitas culturais e outras atividades. Mediante pagamento extra os alunos poderão ainda beneficiar das disciplinas de Hidroginástica, Natação e Pintura.

No Concelho de Mação os seniores podem hoje escolher entre participar nas atividades do Clube Sénior de forma gratuita e/ou querer desenvolver mais e melhores competências na Universidade Sénior, mediante pagamento.

 

A Universidade Sénior vai funcionar na antiga Escola Secundária de Mação, sob a coordenação de Vanda Serra. As aulas terão início no dia 2 de novembro.

 

Tal como as outras Universidades Seniores, a do Concelho de Mação será mais uma resposta social à Terceira Idade, no combate ao isolamento e à exclusão social.

Com esta resposta, a Câmara Municipal de Mação pretende incentivar os seniores, pessoas a partir dos 50 anos, a participarem na sociedade de modo ativo, por forma a envelhecerem ativamente e prevenir a dependência de terceiros.

Para além de um projeto educativo e formativo, este é igualmente um projeto social e de saúde, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida dos seniores, assim como profilaxia para o isolamento e exclusão social.

As Universidades Seniores, apesar de ministrarem cursos e disciplinas, funcionam fora do sistema escolar dando primazia à divulgação e convívio cultural, num sistema de educação informal que não conduz à certificação. Visam criar e dinamizar regularmente atividades sociais, culturais, educacionais e de convívio, em regime não formal, sem fins de certificação e num contexto de aprendizagem ao longo da vida. Mais do que um projeto educativo e formativo, este é um projeto social, que para além do conhecimento pretende combater a solidão e o isolamento, favorecer o convívio e a ocupação das pessoas mais velhas, sobretudo após a reforma.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *