Arouca, Cultura

«Vestígios» dão a conhecer a identidade de Arouca, através da fotografia

cartaz_MRAdriana Melo partiu numa viagem à procura da identidade arouquense, com base nas fotografias antigas que foi encontrando. Aí encontrou memórias, tradições, gestos e hábitos que ficaram eternizados, e aos quais deu nova vida, refotografando essas imagens, tornando-as mais próximas de quem as quiser conhecer. «Vestígios» é o nome deste projeto, que pretende perpetuar esta identidade. O livro que o dá a conhecer será apresentado na Biblioteca Municipal, no próximo sábado, dia 10 de outubro, às 18:30, por Fernando Faria Paulino, Doutor em Antropologia Visual.

«Desenvolvido a partir de fotografias de arquivo guardadas pelos locais de Arouca, este projeto pretende dar a conhecer este concelho, no passado e no presente, ao mesmo tempo que é salientada a importância da fotografia como documento.

O concelho de Arouca é bastante rico em memórias e tradições mas, na realidade, não existe muita documentação visual sobre as mesmas. A memória é mantida através da tradição e da oralidade.

Ao refotografar imagens de arquivo amadoras guardadas pelos locais, que representam atividades do passado, que ainda são praticadas no presente, pretende-se salientar o facto de a tradição ser preservada em Arouca ao longo dos anos, fazendo como que um elogio a esta forma de manter viva a memória. As imagens antigas, quase esquecidas, são trazidas de novo à vida, revalorizadas num novo contexto. A memória oral e a tradição são também integradas no projeto através do som, que contribui para uma nova visão das imagens.

Como contraponto, surge o vazio, o esquecimento, a consequência da falta de preservação de um passado quase esquecido. As ruínas das antigas minas de volfrâmio surgem como um aviso para o futuro, relembrando como o passado pode ser esquecido».

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *