Desporto

Sonho concretizado em Sta. Luzia, Viana do Castelo

5aetapa_vencedorescamisolasJosé Gonçalves, da formação espanhola Caja Rural-Seguros RGA, foi o mais forte esta segunda-feira no alto do Monte de Santa Luzia, em Viana do Castelo, palco do final da quinta etapa da 77ª Volta a Portugal Liberty Seguros. O corredor de 26 anos confessou que triunfar em Santa Luzia era um sonho. “Antes de começar a Volta disse que se ganhasse uma etapa gostava que fosse em Viana. Era a vitória que esperava, andava à procura dela desde o primeiro dia”, foram as palavras de Gonçalves que se estreou a vencer na Volta a Portugal.

Gustavo Veloso (W52-Quinta da Lixa) continua a ser Camisola Amarela. Ao terminar pelo segundo dia consecutivo na terceira posição, atrás do companheiro de equipa Delio Fernández, com o mesmo tempo do vencedor e bonificando quatro segundos reforçou um pouco mais a liderança. “O importante é estar o mais à frente possível. Sou como uma formiguinha, vou conquistando segundo a segundo, mas ainda não estou tranquilo. Tenho fortes adversários”, explicou o galego que já perdeu uma Volta por apenas quatro segundos em 2013.

Para além de comandar a classificação geral, Veloso assume agora a liderança na classificação dos pontos, simbolizada pela Camisola Vermelha Banco BIC, e é também o líder do Prémio Kombinado KIA, fruto das posições cimeiras em que se encontra. Embora não tenha vencido nenhum dos dois Prémios de Montanha nesta etapa, Bruno Silva (LA Alumínios-Antarte) continua a ser o portador da Camisola Azul Fundação do Desporto. O russo Aleksey Rybalkin (Lokosphinkx) é o jovem melhor classificado, Camisola Branca RTP.

Raramente o último a terminar a etapa tem honras de destaque mas este sexto dia de competição foi diferente. José Gonçalves triunfou mas o destino, ou as circunstâncias da corrida, fizeram com que o irmão gémeo, Domingos Gonçalves (Efapel), fosse o último a chegar a Viana do Castelo.

 

Romaria a Sta. Luzia

Depois do verdadeiro e emocionante espetáculo da chegada a Braga, no ano passado, a “Cidade dos Arcebispos” serviu de palco de partida da quinta etapa da 77ª Volta a Portugal Liberty Seguros. Agosto sentiu-se ao longo de toda a tirada. Milhares de adeptos, muitos deles emigrantes a passarem férias, aplaudiram os homens do asfalto. A competição teve também neste dia direito a visitas especiais. À partida, André Cardoso, que corre na formação estrangeira Team Cannondale-Garmin e foi segundo classificado na Volta em 2011, fez questão de desejar boa sorte aos companheiros.

Em dia de romaria ao Santuário de Santa Luzia, em Viana do Castelo, houve 11 “peregrinos” que quiseram animar a tirada. Neste grupo de fugitivos, para além de equipas estrangeiras, estiveram representados cinco conjuntos portugueses. A única equipa sem qualquer representante na fuga foi exatamente a equipa do líder, a W52-Quinta da Lixa, que tratou da perseguição. Ao fim de 100 quilómetros juntos, Alberto Gallego (Rádio Popular-Boavista) decidiu atacar e o resto do grupo ainda lutou para não ser alcançado. A resistência dos últimos, onde estava o corredor axadrezado, Prémio Combatividade, durou até faltarem dois quilómetros para a chegada. Depois, na subida, “rezou-se” a Santa Luzia e perante centenas de pessoas em redor do santuário e da estrada assistiu-se a um final emocionante a demonstrar que Viana está mesmo no coração da Volta.

 

Momento do Dia

O homem de 1965

A partida da etapa, em Braga, ficou marcada pela homenagem a João Peixoto Alves, vencedor da Volta há 50 anos pelo Benfica. A freguesia de Soutelo é a terra natal deste homem que protagonizou uma carreira profissional curta, de 1960 a 1967. Abandonou a competição aos 26 anos, mas teve tempo suficiente para pedalar em 171 provas, entre elas a Volta a França do Futuro de 1963 onde conseguiu um 7º lugar na geral e a vice-liderança na Montanha. De baixa estatura, Peixoto Alves ficou conhecido no mundo velocipédico pelo “Fiat 500”. Considerado um dos embaixadores do ciclismo benfiquista, esta glória do mundo das duas rodas a pedal, dá nome ao Circuito da Palmeira/Prémio Peixoto Alves, prova organizada para a categoria de Juniores.

6ª Etapa – 4 agosto 2015

Ovar (Furadouro) – Oliveira de Azeméis | 155,3 Km

Hora da Partida – 13h20

O regresso de Ovar à Volta é uma das novidades desta edição sendo a Praia do Furadouro o cenário de partida da etapa que antecede o Dia de Descanso. Aumentada em pouco mais de dois quilómetros relativamente à distância inicial devido a obras no percurso, a etapa vai ligar a “Cidade Vareira” a Oliveira de Azeméis e deverá permitir aos sprinters assumirem o protagonismo com a chegada à longa Avenida D. Maria I.

 

Concerto da Volta

Expensive Soul

Depois da festa do ciclismo, haverá música esta terça-feira à noite com o “Concerto da Volta”. A banda portuguesa Expensive Soul dá o mote musical com um espetáculo gratuito às 22 horas, no Parque La Salette. Para os que ainda tiverem “pedalada” após o concerto há a Festa da Volta no Magnólia Club (Zona Industrial de Oliveira de Azeméis).

 

Todas as informações em: http://www.volta-portugal.com/etapas/phps/etapa_home.php?etapa=6

 

 

 

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *