Celorico de Basto, Sociedade

Património milenar, anterior à nacionalidade, é candidato a Património Mundial da Unesco – Celorico de Basto

_DSC2208Património é já considerado pela população como de Valor universal excecional mas terá que ser avaliado, efetivamente, nesse sentido.

Foi em pleno Centro Interpretativo do Castelo de Arnoia que decorreu, no dia 11 de julho, a apresentação oficial da Candidatura do Castelo de Arnoia e Villa de Basto a Património Mundial da Unesco.

“Será um processo que irá demorar algum tempo mas com muito trabalho, abnegação onde será necessário desenvolver um plano de atividades consistente, com marketing e merchandising que promoverá uma imagem, a do nosso castelo e Villa de Basto, tenho a certeza que iremos conseguir. Em 2020, aquando das comemorações dos 500 anos da entrega do foral, espero já ter conseguido a devida chancela como património da Humanidade” disse o presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva, na cerimónia de apresentação oficial de Candidatura. “Tivemos muito trabalho para aqui chegar e teremos muito mais trabalho para atingir o objetivo mas acredito que com o empenho das nossas  parcerias iremos chegar ao que pretendemos. O nosso castelo apresenta as condições indicadas para arrecadar este título, é um património milenar, identificativo de um território que transporta a nossa história. Uma marca que deverá ficar registada como património coletivo de toda a humanidade”, reforçou.

A apresentação técnica da candidatura foi da responsabilidade de Pedro Mendes Ferreira que salientou tratar-se de “um novo desafio, com trabalhos de preparação e acompanhamento que englobará uma série de etapas”. Esta candidatura contará com uma equipa multidisciplinar que envolverá a comunidade local de forma abrangente.“Será um procedimento detalhado e inventariado com rigor de forma a reforçar substancialmente a candidatura valorizando um fator crucial que é o “valor universal excecional”, disse Pedro Mendes Ferreira.

Esta candidatura conta com uma Comissão de Honra e uma Comissão Científica responsável impulsionar e argumentar no sentido do valor Universal Excecional deste património.

Esta candidatura pretende “destacar o património nacional de forma ampla e abrangente, promovendo assim a região e o país pelo mundo fora” reforçou o edil celoricense.

 

 

 

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *